Moraes autoriza PF a usar investigação do Facebook e fecha cerco ao gabinete do ódio

Ministro do STF permitiu a utilização dos dados sobre as contas ligadas à família Bolsonaro derrubadas pela rede social em dois inquéritos: fake news e atos golpistas

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a Polícia Federal a acessar informações realizada pelo Facebook, que derrubou uma rede de distribuição de fake news e perfis falsos ligada à família Bolsonaro no último dia 8 de julho.

Moraes atendeu o pedido de investigadores da PF, que poderão utilizar as informações em dois inquéritos em que o ministro é relator, o das fake news e o dos atos golpistas. Ele deu cinco dias para a rede social passar os dados.

No dia 8 de julho, em operação global para combater conteúdos falsos e discurso de ódio, o Facebook derrubou quase 100 contas ligadas ao clã Bolsonaro. A investigação da plataforma vinculou funcionários dos gabinetes do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) à produção e distribuição dos conteúdos.

O Facebook cita Tércio Arnaud Thomaz como um dos principais responsáveis pela divulgação dos conteúdos de desinformação e discurso de ódio. Tércio é assessor especial do presidente da República e integraria o chamado “gabinete do ódio”, por indicação do vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ).

Especialistas da plataforma identificaram que ele é o responsável pela página Bolsonaro Opressor 2.0, com mais de 1 milhão de seguidores, e pela conta @bolsonaronewsss, no Instagram, com 492 mil seguidores e 11 mil posts. As páginas publicavam conteúdos contra opositores do presidente.

Os investigadores da PF querem ter acesso a todos os dados da apuração privada realizada pelo Facebook, indicando que os inquéritos do STF devem fechar o cerco no gabinete do ódio. De acordo com fontes ligadas ao Palácio do Planalto, o grupo fica no terceiro andar do Palácio, em sala a poucos metros do gabinete do presidente.

Além de Tércio, de 31 anos, fariam parte do gabinete organizado por Carlos os assessores José Matheus Sales Gomes, 26, e Mateus Matos Diniz, 25.

Avatar de Ricardo Ribeiro

Ricardo Ribeiro

Correspondente da Fórum na Europa. Jornalista e pesquisador, é mestre em Jornalismo e Comunicação pela Universidade de Coimbra e doutorando em Política na Universidade de Edinburgh. Trabalhou na Folha de S.Paulo, Agora e UOL, entre 2008 e 2017, como repórter e editor.

Em 2021, escolha a Fórum.

Todos os dias Fórum publica de 80 a 100 matérias desde às 6h da manhã até à meia-noite. São 18h de textos inéditos feitos pela equipe de 10 jornalistas da redação e também por mais de três dezenas de colaboradores eventuais.

E ainda temos 3 programas diários no YouTube. O Fórum Café, com Cris Coghi e Plínio Teodoro, o Fórum Onze e Meia, com Dri Delorenzo e este editor, e o Jornal da Fórum, com Cynara Menezes. Além de vários outros programas semanais, como o Fórum Sindical, apresentado pela Maria Frô.

Tudo envolve custos. E é uma luta constante manter este projeto com a seriedade e a qualidade que nos propomos.

Por isso, neste momento que você está renovando suas escolhas e está pensando em qual site apoiar neste ano, que tal escolher a Fórum?

Se fizer isso, além de garantir tranquilidade para o nosso trabalho, você terá descontos de no mínimo 50% nos cursos que já temos em nossa plataforma do Fórum Educação.

É fácil. Clique em apoiar e escolha a melhor forma de escolher a Fórum em 2021.

Renato Rovai
Editor da Revista Fórum

APOIAR