sexta-feira, 25 set 2020
Publicidade

Moro diz que transcrição omite trechos relevantes, mas confirma interferência de Bolsonaro na PF

O ex-ministro Sergio Moro reagiu à divulgação da transcrição de trechos do vídeo da reunião ministerial pela Advocacia-Geral da União (AGU) nesta quinta-feira (14). A gravação é parte do inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) que investiga a acusação do ex-ministro de que o presidente Jair Bolsonaro buscava interferir na Polícia Federal.

Em publicação no Twitter, Moro diz que ele e seus advogados “foram surpreendidos” com a divulgação, o que revelaria “disparidade no processo” porque ela demonstra que a AGU, responsável pela defesa do presidente, tem acesso ao vídeo, e a sua defesa, não.

A nota compartilhada por Moro também destaque que a transcrição omite “contexto e trechos relevantes para a adequada compreensão”, inclusive na parte ‘segurança do RJ'”. No entanto, para a defesa do ex-ministro, “comparando com atos posteriores” praticados por Bolsonaro, o trecho divulgado confirma que “as referências diziam respeito à PF e não ao GSI”.

Ricardo Ribeiro
Ricardo Ribeiro
Correspondente da Fórum na Europa. Jornalista e pesquisador, é mestre em Jornalismo e Comunicação pela Universidade de Coimbra e doutorando em Política na Universidade de Edinburgh. Trabalhou na Folha de S.Paulo, Agora e UOL, entre 2008 e 2017, como repórter e editor.