sexta-feira, 18 set 2020
Publicidade

Mortes por covid-19 na Espanha superam as 4 mil, e país já vive drama similar ao da Itália

A Espanha registrou uma ligeira queda no número diário de mortes por covid-19 nos últimos dias. Depois de ter mais de 700 nos dois primeiros dias desta semana, nesta quinta-feira (26), a atualização mostrou 655 novos falecimentos. Embora isso possa alimentar alguma esperança no início de uma curva descendente da doença, não chega a ser uma boa notícia. Ainda é um número muito alto, e levou o país a superar os 4 mil falecimentos no total, com 56 mil casos registrados.

Diante dessa situação, e considerando que a queda nos números indica que medidas restritivas começam a surtir efeito, o Parlamento espanhol aprovou rapidamente uma nova lei que permite o endurecimento do Estado de emergência – o que significa maior rigorosidade no controle da quarentena e sanções mais pesada àqueles que a violarem.

Segundo o Ministério da Saúde do país ibérico, o sistema de saúde do país está colapsado. Ao todo, são 32 mil pessoas hospitalizadas somente por casos de covid-19 – sem contar as que padecem de outras doenças –, entre as quais 3,7 mil estão em terapia intensiva.

O presidente Pedro Sánchez deu uma declaração à imprensa local, na qual afirmou que outro objetivo da extensão do Estado de emergência é justamente impedir que esses números sigam aumentando, para que o sistema de saúde comece a ser descongestionado. “Precisamos diminuir rapidamente o número de novos contágios, até uma quantidade que nossa estrutura tenha condições de atender e cuidar de todos”, explicou o mandatário espanhol.

Sánchez também anunciou medidas para enfrentar os problemas econômicos causados pela pandemia. Entre elas está a lei que estabelece uma renda mínima temporária, que ajudará os trabalhadores que estão parados em função da quarentena. Além disso, se decretou a suspensão dos aluguéis para as pessoas mais afetadas pelo covid-19.

Em número total de casos, tanto a Espanha quanto a Itália se aproximam cada vez mais da China, que já estabilizou seu quadro, e se mantém há duas semanas com pouco mais de 81 mil infectados, e 3,3 mortes. A Espanha tem 56 mil casos e 4 mil mortes. A Itália tem 74 mil casos e 7,5 mil mortes.

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.