Fórumcast #20
22 de junho de 2015, 19h38

MP aponta que unidades de internação de adolescentes estão superlotadas

De acordo com relatório apresentado pelo Conselho Nacional do Ministério Público, há, atualmente, 21,8 mil jovens internados em unidades que comportam até 18 mil vagas. Conclusão do estudo é que a proteção integral ao jovem, prevista pelo ECA, não é cumprida e que as instituições precisam ser transformadas "em verdadeiras unidades socioeducativas, e não em pequenos presídios, como ainda prevalece em boa parte do sistema”.

De acordo com relatório apresentado pelo Conselho Nacional do Ministério Público, há, atualmente, 21,8 mil jovens internados em unidades que comportam até 18 mil vagas. Conclusão do estudo é que a proteção integral ao jovem, prevista pelo ECA, não é cumprida e que as instituições precisam ser transformadas “em verdadeiras unidades socioeducativas, e não em pequenos presídios, como ainda prevalece em boa parte do sistema”

Por André Richter, na Agência Brasil 

O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) divulgou hoje (22) dados que confirmam a superlotação das unidades de internação de adolescentes em conflito com a lei em 17 estados. De acordo com o levantamento, 21,8 mil jovens estão internados em unidades que oferecem 18 mil vagas. Os números fazem parte da  2ª edição do relatório Um Olhar Mais Atento às Unidades de Internação  e de Semiliberdade para Adolescentes.

Os casos de superlotação foram registrados em unidades da  Bahia, do Ceará, Maranhão, da Paraíba, de Pernambuco, Sergipe, do Rio Grande do Sul, Acre, Amapá, Pará, de São Paulo, do Espírito Santo, de Minas Gerais e em todos os estados da região Centro-Oeste. Em comparação com os dados coletados em 2013 e 2014, o maior déficit de vagas está nas unidades de internação localizadas na Região Nordeste.

Veja também:  Caso Itaipu: Empresa ligada a Bolsonaro negociou acordo ilegal com vice-presidente paraguaio

Reoresentantes do conselho visitaram 317 das 369 unidades de internação que funcionam no país. Os dados foram coletados a partir de informações enviadas ao conselho por promotores da  juventude de todo o país.  As inspeções periódicas estão previstas no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). A publicação servirá para a adoção de políticas públicas no sistema socioeducativo.

O relatório conclui que a proteção integral dos adolescentes em conflito, garantida pelo ECA, não é cumprida. O conselho defende o cumprimento das medidas socioeducativas, como escolarização, práticas esportivas, lazer e cultura, e a participação no processo de ressocialização.

“No que diz respeito às melhorias do sistema como um todo, deve-se observar também para o fortalecimento do meio aberto, de modo geral, para conter mais e, progressivamente, a entrada para o meio fechado. Em relação a esses, o maior desafio é transformá-los em verdadeiras unidades socioeducativas, e não em pequenos presídios, como ainda prevalece em boa parte do sistema”, conclui o CMNP.

Foto: Apadep 


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum