Mulher de Queiroz estuda fazer delação e contatou dois advogados, diz jornal

Foragida, Márcia Oliveira de Aguiar teme ser presa e pode entregar esquema de corrupção que envolve a família Bolsonaro

Com prisão preventiva decretada desde 18 de junho e considerada foragida, a mulher de Fabrício Queiroz, Márcia Oliveira de Aguiar, procurou dois escritórios de advocacia esta semana para avaliar os prós e os contras de uma delação premiada.

Ela está disposta a revelar o que sabe sobre o esquema de rachadinhas no gabinete do então deputado estadual Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), no Rio de Janeiro. As informações foram apuradas pelo jornal Valor Econômico.

Um emissário de Márcia, falando também em nome da filha dela com Queiroz, Nathália, foi enviado a dois escritórios de advocacia no Rio. Queiroz, que cumpre prisão preventiva em Bangu, já estaria negociando uma delação, segundo a CNN Brasil.

O ex-assessor de Flávio teria sinalizado que ficaria calado desde que a família não fosse presa e a detenção da mulher dele é questão de tempo. Amigo do presidente há quase 30 anos, Queiroz é apontado pelo Ministério público como operador do esquema que consistiria no repasse de parte dos vencimentos de servidores lotados no gabinete de Flávio no Rio, que foi deputado por quatro mandatos até ser eleito para o Senado, em 2018.

Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.

Em 2021, escolha a Fórum.

Fazer jornalismo comprometido com os direitos humanos e uma perspectiva de justiça social exige apoio dos leitores. Porque se depender do mercado e da publicidade oficial de governos liberais esses projetos serão eliminados. Eles têm lado e sabem muito bem quem devem apoiar.

Por isso, neste momento que você está renovando suas escolhas e está pensando em qual site apoiar, que tal escolher a Fórum?

Se fizer isso, além de garantir tranquilidade para o nosso trabalho, você terá descontos de no mínimo 50% nos cursos que já temos em nossa plataforma do Fórum Educação.

Renato Rovai
Editor da Revista Fórum

APOIAR