O que o brasileiro pensa?
17 de maio de 2020, 17h33

O dia em que ser gay deixou de ser doença

Até o dia 17 de maio de 1990, homossexuais eram tratados como pessoas com desvios patológicos mentais, permitindo preconceitos e violações como terapias de reversão

Foto: Getty Images/Reprodução

No dia 17 de maio de 1990 a OMS tirou homossexualidade da lista internacional de doenças. Até então, homossexuais eram tratados como pessoas com desvios patológicos mentais, permitindo preconceitos e violações como terapias de reversão, a conhecida “cura gay”. A transexualidade foi retirada dessa lista só em 2019, quando a data passou a ser o Dia Internacional Contra Homofobia, Transfobia e Bifobia.

Neste ano, ainda que sob um governo assumidamente homofóbico e transfóbico, pode-se comemorar algumas vitórias das lutas do movimento LGBT, como a recente derrubada da restrição à doação de sangue por gays, travestis e trans no STF.

A decisão da OMS auxiliou na redução de cerca de 74% da população mundial vivendo sob leis estatais de criminalização contra homossexuais em 1969 para cerca de 27% em 2018, segundo relatório de 2019 da International Lesbian, Gay, Bisexual, Trans and Intersex Association (ILGA World).

Mas os números de violência seguem sendo altos. No “Relatório Anual de Mortes Violentas de LGBT no Brasil” do Grupo Gay da Bahia (GGB) em 2019, registram 329 mortes violentas de LGBTQI+, sendo 297 homicídios e 32 suicídios, uma morte a cada 26 horas. Há subnotificação e a questão da transfobia do Estado dificulta os registros.

O Brasil nunca teve códigos que criminalizassem diretamente a homossexualidade, mas a moral cristã sempre penalizou atos de “sodomia” e qualquer coisa que fosse contra o que acreditam dizer a bíblia como criminosos e pecaminosos.

Ainda existem, e só crescem, os grupos evangélicos favoráveis a terapias de reversão de orientação com base na religião. Vale frisar que são contrários à determinação da OMS e que a luta contra o preconceito está longe de chegar ao fim.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum