Ouça o Fórumcast, o podcast da Fórum
26 de setembro de 2019, 17h15

Oaxaca é o segundo estado do México a legalizar o aborto

Desde 2016, 20 mulheres do estado foram presas por interromperem suas gestações; Oaxaca agora se une à Cidade do México na vanguarda do país no âmbito dos direitos reprodutivos

Foto: Liz Tapia

As mulheres do estado mexicano de Oaxaca tiveram uma importante vitória nesta quarta-feira (25). Deputados do estado decidiram que o aborto não é mais criminalizado no local e que a gravidez poderá ser interrompida até a décima segunda semana de gestação. A medida, que entrará em vigor no próximo mês, gerou uma série de ataques da oposição conservadora.

Estima-se que mais de nove mil mulheres se submeteram a abortos clandestinos na região de Oaxaca nos últimos anos. A prática, considerada crime até então, levou 20 mulheres para cadeia nos últimos quatro anos. A capital Cidade do México foi o primeiro lugar do país onde o aborto foi legalizado.

“Depois que a capital aprovou, há 12 anos, houve muitas outras tentativas em legislativos locais, e todas fracassaram. E realmente não tínhamos muita esperança de que esta pudesse conseguir. Lançaram um sinal muito importante para o resto do país. Isto é imparável”, afirmou, ao jornal El País, Regina Tamés, diretora do Grupo de Informação em Reprodução Escolhida.

Para Tamés, a decisão de Oaxaca poderá influenciar outros lugares do México. “Temos que aprender com Oaxaca, com sua capacidade de luta, de resistência às pressões de grupos religiosos e de ultradireita. Hoje foram um exemplo para o México. E fica claro que afetará o debate nacional. E outros legislativos terão que entrar nisso, queiram ou não”.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum