Omar Aziz limita acesso a documentos da CPI para evitar vazamentos

A partir de agora os senadores terão que pedir autorização fundamentada para poder acessar as informações sigilosas disponibilizadas à secretaria da Comissão

O presidente da CPI da Covid, o senador Omar Aziz (PSD-AM), limitou o acesso aos documentos sigilosos que estão sob posse da Comissão.

Segundo Aziz, ele atendeu uma determinação do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandwski.

Ao G1, o senador afirmou que o acesso será dado ao senador autor do requerimento que originou a documentação.

O objetivo do presidente da CPI é evitar vazamento de documentos sigilosos. “Não queremos que a CPI deixe de investigar, mas não há hipótese de deixarmos de seguir as regras constitucionais”, declaro Aziz.

Os senadores que compõem a comissão já foram avisados que para ter acesso aos documentos terão de fazer pedido fundamentado e que este será analisado pela secretaria da CPI.

Abaixo, a íntegra da nota divulgada aos senadores neste sábado:

“Comunicamos que, por determinação da presidência, o acesso de parlamentares e assessores a documentos sigilosos da CPI foi interrompido. Oportunamente serão feitas alterações no sistema pela equipe técnica do Prodasen, para que os senadores possam acessar somente os documentos resultantes dos requerimentos de sua autoria ou, mediante pedido e fundamentação específica, a documento ligado a requerimento de outro Senador”.

Com informações do G1.

Publicidade
Avatar de Marcelo Hailer

Marcelo Hailer

Jornalista (USJ), mestre em Comunicação e Semiótica (PUC-SP) e doutor em Ciências Socais (PUC-SP). Professor convidado do Cogeae/PUC e pesquisador do Núcleo Inanna de Pesquisas sobre Sexualidades, Feminismos, Gêneros e Diferenças (NIP-PUC-SP). É autor do livro “A construção da heternormatividade em personagens gays na televenovela” (Novas Edições Acadêmicas) e um dos autores de “O rosa, o azul e as mil cores do arco-íris: Gêneros, corpos e sexualidades na formação docente” (AnnaBlume).

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR