Fórumcast, o podcast da Fórum
21 de outubro de 2017, 18h14

ONU nega apoio à ‘ração humana’ e gestão Doria é pega na mentira

A Plataforma Sinergia, empresa que produz a chamada “farinata” para a prefeitura, informou que tem parceria com a ONU, informação que foi negada pela entidade. Procurado, secretário de Doria disse que produto, na verdade, foi premiado em um concurso ligado à ONU, o que também é mentira

Por Redação*

A gestão de João Doria (PSDB) frente a prefeitura de São Paulo já tornou uma tradição o ato de usar nomes de pessoas e entidades indevidamente e sem consultá-las em suas ações para dar a elas mais credibilidade. Agora, o governo do tucano foi pego na mentira com relação à Organização das Nações Unidas (ONU), que tem sua logomarca associada à polêmica ração humana anunciada pelo prefeito na semana passada.

No site da Plataforma Sinergia, empresa que produz a chamada “farinata” – um suplemento feito com restos de alimentos que estão para estragar -, a ONU e a FAO aparecem como parceiras. Mas não foi só a empresa que mentiu. A própria gestão do prefeito tucano, através de seu secretário de Direitos Humanos, Eloisa Arruda, confirmou a suposta parceria. Mas ele conseguiu ainda ir além e disse que a “farinata”, inclusive, ganhou prêmio na ONU.

“Esse alimento foi submetido a um concurso mundial que foi feito pela FAO. Concorreu com 170 compostos nutricionais, e ele ganhou o prêmio. Foi considerado o melhor do mundo para suprir carências nutricionais. Ele já foi reconhecido pela Nações Unidas. É um alimento que foi testado e tem aprovação de uma agência internacional da ONU”, disse o secretário à rádio CBN.

Acionada pela reportagem, a ONU procurou ao longo de três dias por registros de qualquer parceria ou concurso envolvendo a Plataforma Sinergia e o produto, mas nada foi encontrado.

A Plataforma Sinergia associa ainda, em seu site, imagens de outras cinco empresas à chamada ração humana. Todas elas também negaram relação com o produto, que já foi criticado por entidades de nutricionistas e até pelo Conselho de Segurança Alimentar.

A ração humana é alvo agora de uma investigação do Ministério Público paulista. A ideia de Doria é distribuir o produto aos pobres em albergues e também na merenda de crianças da rede municipal de ensino.

Leia também: Endereço de fabricante de ração humana de Doria é de uma residência onde não funciona empresa alguma

*Com informações da CBN

 

 


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum