Fórumcast, o podcast da Fórum
19 de janeiro de 2016, 16h18

Organizadores do Oscar reconhecem que é preciso diversidade racial

As declarações da presidente da academia surgem depois de o ator Spike Lee - que recebeu em 2015 um Oscar honorífico - e de a atriz Jada Pinkett Smith terem anunciado que não vão comparecer na cerimônia de entrega do Oscar precisamente por não existir, pelo segundo ano consecutivo, qualquer ator ou atriz negros nomeados para os prêmios

As declarações da presidente da academia surgem depois de o ator Spike Lee – que recebeu em 2015 um Oscar honorífico – e de a atriz Jada Pinkett Smith terem anunciado que não vão comparecer na cerimônia de entrega do Oscar precisamente por não existir, pelo segundo ano consecutivo, qualquer ator ou atriz negros nomeados para os prêmios

Por Agência Lusa

A presidente da Academia de Cinema dos Estados Unidos, Cheryl Boone Isaacs, admitiu que a entidade precisa de uma mudança, na sequência de críticas apontadas à ausência de qualquer artista negro entre os nomeados.

Em comunicado divulgado na segunda-feira à noite, Cheryl Boone Isaacs manifestou-se “destroçada e frustrada” pelas falhas da academia, em matéria de diversidade. “É uma discussão difícil, mas importante, e está na altura de se fazerem grandes mudanças”.

As declarações da presidente da academia surgem depois de o realizador Spike Lee – que recebeu em 2015 um Oscar honorífico – e de a atriz Jada Pinkett Smith terem anunciado que não vão comparecer na cerimônia de entrega do Oscar precisamente por não existir, pelo segundo ano consecutivo, qualquer ator ou atriz negros nomeados para os prêmios.

Cheryl Boone Isaacs revelou que, nas próximas semanas, serão decididas e tomadas “medidas drásticas para alterar a composição dos membros” da academia em nome de uma “necessária diversidade”.

Veja também:  Malafaia defende Eduardo Bolsonaro em embaixada e toma várias invertidas nas redes sociais

Depois da divulgação do comunicado da academia, o ator negro David Oyelowo disse hoje que aquela entidade não representa aquilo que é os Estados Unidos, exigindo, para os próximos meses, uma alteração radical na organização do Oscar.

A entidade, que decide os nomeados e escolhe os vencedores, integra 6.300 membros. De acordo com o jornal Los Angeles Times, 93% dos membros são brancos e 76% são do sexo masculino. A média de idade é 63 anos.

“Como sabem, nos últimos quatro anos fizemos alterações para diversificar os membros da academia, mas as mudanças não ocorrem tão depressa como desejávamos”, afirmou Cheryl Boone Isaacs.

O ator negro David Oyelowo disse hoje que a academia não representa aquilo que são os Estados Unidos, exigindo para os próximos meses – e não anos – uma alteração radical à organização do Oscar.

A 88.ª edição do Oscar, marcada para 28 de fevereiro em Los Angeles, terá apresentação do humorista afro-americano Chris Rock, que, nos últimos dias, tem sido pressionado para boicotar a cerimônia.

Veja também:  Indicado por Flávio Bolsonaro à PGR mente sobre apoio de Fux e Toffoli

Foto: Divulgação/A.M.P.A.S.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum