Parada LGBT de SP será virtual e contará com vários eventos online; confira programação

Com o tema "HIV/Aids: Ame + Cuide + Viva +", o evento será transmitido ao vivo pelo Youtube

Por conta da pandemia, a Parada LGBT da cidade de São Paulo, assim como a edição anterior, terá de ser virtual. Marcada para o dia 6 de junho, a partir das 14h, serão oito horas de transmissão ao vivo com shows e informações sobre os vários assuntos que compõem o universo LGBT.

O tema escolhido para a Parada LGBT deste ano é HIV/Aids: Ame + Cuide + Viva +. A Associação da Parada, que organiza o evento, afirma que a escolha do tema é para alertar a sociedade combater os estigmas e preconceitos que cercam o vírus, mas também é um convite para celebrar a vida, a alegria e a união das pessoas LGBT+ e de toda a sociedade, principalmente neste momento em que o país ainda enfrenta, a duras penas, a pandemia do coronavírus.

Uma prova da importância do tema está no Índice de Estigma em Relação às Pessoas Vivendo com HIV/Aids de 2019, realizado pelo Unaids nas cidades de São Paulo, Recife, Salvador, Porto Alegre e Manaus. Cerca de 47% das pessoas entrevistadas nessas cidades revelaram terem sido alvo de comentários ou fofocas sobre sua soropositividade. A difamação também está dentro da família, como relataram 42% dessas pessoas. Enquanto cerca de 19% afirmaram terem sofrido assédio verbal pelo mesmo motivo.

No dia do evento, antes de cada show, a dupla Diva Depressão mostrará tudo o que acontece nos bastidores. Além do casal, Lorelay Fox, Spartakus, Nátaly Neri, Mandy Candy, Bielo, Lucas Raniel, Louie Ponto, Jean Luca, Tchaka e Alberto Pereira Jr. compõem o time de hosts.

Serviço:

25ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo (2021)
Data: 6 de junho, a partir das 14h
Tema: HIV/Aids: Ame + Cuide + Viva +
Onde: No YouTube, nos canais da APOLGBT-SP, Dia Estúdio e dos apresentadores
Mais informações sobre o tema, acesse o Manifesto oficial da 25ª edição da Parada.
http://www.paradasp.org.br

Avatar de Marcelo Hailer

Marcelo Hailer

Jornalista (USJ), mestre em Comunicação e Semiótica (PUC-SP) e doutor em Ciências Socais (PUC-SP). Professor convidado do Cogeae/PUC e pesquisador do Núcleo Inanna de Pesquisas sobre Sexualidades, Feminismos, Gêneros e Diferenças (NIP-PUC-SP). É autor do livro “A construção da heternormatividade em personagens gays na televenovela” (Novas Edições Acadêmicas) e um dos autores de “O rosa, o azul e as mil cores do arco-íris: Gêneros, corpos e sexualidades na formação docente” (AnnaBlume).