Polícia invade orgia gay “regada a drogas” de padres do Vaticano

Publicidade De acordo com jornal italiano, o organizador da festa, que passou pelo hospital para se desintoxicar das drogas, era um padre do alto escalão da igreja, ligado a um conselheiro do Papa Francisco, que teria ficado furioso com a notícia. Prédio onde acontecia a orgia pertence à órgão do Vaticano que cuida dos escândalos […]

Publicidade

De acordo com jornal italiano, o organizador da festa, que passou pelo hospital para se desintoxicar das drogas, era um padre do alto escalão da igreja, ligado a um conselheiro do Papa Francisco, que teria ficado furioso com a notícia. Prédio onde acontecia a orgia pertence à órgão do Vaticano que cuida dos escândalos de abuso sexual de menores por membros da igreja

Por Redação

Publicidade

O jornal italiano Il Fatto Quotidiano noticiou, esta semana, que padres do primeiro escalão da Igreja Católica foram flagrados pela polícia em uma orgia “regada a drogas” em um apartamento do prédio da Congregação para Doutrina da Fé – também chamado de Palácio do Santo Ofício – no próprio Vaticano. Este é o órgão que tem que lidar, entre outras atribuições, com os escândalos de abuso sexual de menores por membros da igreja.

De acordo com o jornal italiano, a orgia, que aconteceu no mês passado mas só veio à tona há poucos dias, deixou o Papa Francisco enfurecido. O caso foi noticiado também pelo português DN e pelo inglês The Times.

Publicidade
Publicidade

A festa foi descoberta depois que vizinhos acionaram a polícia por estranharem o movimento de contínuo “entra e sai” do apartamento. O organizador da orgia seria um assessor do Cardeal Francesco Coccopalmerio, um dos principais conselheiros do Papa Francisco. Por conta da repercussão do caso, Coccopalmerio deve ter sua aposentadoria antecipada.

O responsável pela festa teria ainda, de acordo com jornais locais, passado pelo hospital para se desintoxicar das drogas que havia consumido.

Publicidade
Publicidade

O caso acontece em meio a cada vez mais constantes denúncias de abusos sexuais cometidos por membros da igreja ou mesmo atos hipócritas diante do que pregam. O último caso antes da orgia aconteceu poucos dias antes, no mês passado, quando o chefe de finanças do Vaticano, cardeal George Pell, foi formalmente acusado de crimes sexuais.

 

Publicidade

 

Avatar de Ivan Longo

Ivan Longo

Jornalista, editor de Política, desde 2014 na revista Fórum. Formado pela Faculdade Cásper Líbero (SP). Twitter @ivanlongo_