“Precisamos atingir Lula na cabeça”, disse procuradora em mensagens da Vaza Jato

A troca de mensagens ocorreu no dia 5 de março de 2016, um dia depois de Lula ser conduzido coercitivamente para depor na Polícia Federal

A defesa do ex-presidente Lula protocolou, nesta sexta-feira (12), no Supremo Tribunal Federal (STF) petição com novas mensagens onde procuradores discutem a necessidade de “atingir lula na cabeça” para “vencermos as batalhas já abertas” pela operação Lava Jato.

De acordo com a colunista Monica Bergamo, da Folha de S. Paulo, a troca de mensagens ocorreu no dia 5 de março de 2016, um dia após Lula ser conduzido coercitivamente para depor na Polícia Federal.

Nas mensagens trocadas entre os procuradores, ele também falam da necessidade de “atingir ministros do STF” e que, com isso poderiam “comprar brigas com todos ao mesmo tempo”.

A procuradora Carolina Rezendo diz em uma das mensagens que o ideal seria “atingirmos nesse momento o ministro mais novo do Superior Tribunal de Justiça”.

As mensagens também revelam articulações para proteger o juiz Sérgio Moro de ataques da defesa do ex-presidente Lula.

Avatar de Marcelo Hailer

Marcelo Hailer

Jornalista (USJ), mestre em Comunicação e Semiótica (PUC-SP) e doutor em Ciências Socais (PUC-SP). Professor convidado do Cogeae/PUC e pesquisador do Núcleo Inanna de Pesquisas sobre Sexualidades, Feminismos, Gêneros e Diferenças (NIP-PUC-SP). É autor do livro “A construção da heternormatividade em personagens gays na televenovela” (Novas Edições Acadêmicas) e um dos autores de “O rosa, o azul e as mil cores do arco-íris: Gêneros, corpos e sexualidades na formação docente” (AnnaBlume).