“Precisamos reinventar o policiamento e a segurança pública neste país”, diz Barack Obama

Jovem de 20 anos foi morto por uma policial branca após ser parado por uma infração de trânsito; ela alega que confundiu a arma taser (não-letal) com sua pistola

O ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, divulgou uma carta onde afirma que o seu coração e de sua esposa, Michele Obama, “estão pesados por mais um atentado contra um homem negro”.

No texto, Obama afirma que é preciso repensar a política de segurança pública nos EUA. “Nossos corações estão pesados por mais um tiroteio contra um homem negro, Daunte Wright, nas mãos da polícia. É importante conduzir uma investigação completa e transparente, mas isso também é um lembrete de como precisamos reinventar o policiamento e a segurança pública neste país”, disse Obama.

Depois de Floyd, assassinato de Daunte Wright pela polícia leva à nova onda protestos nos EUA

No momento em que o ex-policial Derek Chauvin é julgado pelo assassinato de George Floyd, asfixiado diante de câmeras em maio do ano passado, mais um negro é morto pela polícia na cidade de Brooklyn Center, a 15 quilómetros de Mineápolis (Minesota), nos Estados Unidos. O jovem Daunte Wright, de 20 anos, foi morto no último domingo (11) ao ser parado quando dirigia seu carro pela polícia. Desde domingo, uma nova onda de protestos teve início no país. Nesta segunda-feira (12) foi a segunda noite de manifestações antirracistas e por justiça na cidade.

A policial que matou Daunte Wright é branca e se chama Kim Potter. Ela está há 26 anos na polícia e alega que pretendia atirar com sua arma Taser (não letal), mas que se confundiu e atirou com sua pistola. “Kim Potter sabia exatamente o que estava fazendo. Suas ações foram claramente intencionais”, disse, no Twitter, o advogado e ativista de direitos humanos Ben Crump. “Estou em Minneapolis hoje para exigir justiça para Daunte Wright e George Floyd.”

Avatar de Marcelo Hailer

Marcelo Hailer

Jornalista (USJ), mestre em Comunicação e Semiótica (PUC-SP) e doutor em Ciências Socais (PUC-SP). Professor convidado do Cogeae/PUC e pesquisador do Núcleo Inanna de Pesquisas sobre Sexualidades, Feminismos, Gêneros e Diferenças (NIP-PUC-SP). É autor do livro “A construção da heternormatividade em personagens gays na televenovela” (Novas Edições Acadêmicas) e um dos autores de “O rosa, o azul e as mil cores do arco-íris: Gêneros, corpos e sexualidades na formação docente” (AnnaBlume).