terça-feira, 29 set 2020
Publicidade

Projeto de lei quer instituir dia da memória à facada em Jair Bolsonaro

O deputado bolsonarista Carlos Jordy (PSL-RJ) apresentou na última quarta-feira (28), à Câmara dos Deputados, um projeto de lei para instituir o Dia Nacional de Combate à Intolerância Ideológica no Brasil. Segundo o projeto, a data 6 de setembro servirá para lembrar a facada sofrida pelo então candidato a presidente Jair Bolsonaro (PSL) durante a campanha eleitoral do ano passado.

De acordo com o Artigo 2º do projeto (PL 4.762/2019), caberá ao Estado apoiar a sociedade civil na promoção de campanhas e seminários para a reafirmação da democracia e o direito da liberdade de pensamento e de expressão.

“Nos últimos anos, o Brasil tem sido palco de constantes confrontos ideológicos, não somente entre partidos políticos, mas também entre parcelas da sociedade. As ideologias modernas e contemporâneas racionalizam e justificam paixões muitas vezes de forma exagerada, que ao invés de promoverem um debate restrito às ideias, passam à violência física ou difamatória”, justificou o parlamentar.

Além disso, o parlamentar reforça que o agressor de Bolsonaro, Adélio Bispo de Oliveira, era filiado ao Psol antes de cometer o crime e teria agido contra o então presidenciável por divergências político-ideológicas.

No último mês de julho, Adélio Bispo foi considerado inimputável e o processo foi encerrado.

 

George Marques
George Marques
Jornalista e Relações Públicas pela Faculdade JK de Brasília. É também especialista em comunicação pública e comunicação política no legislativo, tendo já sido indicado ao Prêmio Comunique-se de Jornalismo Político. Já trabalhou na cobertura de política para o site The Intercept Brasil e Metrópoles. É colunista da Fórum.