sábado, 24 out 2020
Publicidade

PT sugere que Globo faça debate em SP com 10 candidatos e nenhum assessor

Proposta foi encaminhada à emissora, que quer realizar encontro com os 4 mais bem colocados em pesquisas devido à pandemia

O diretório municipal do PT em São Paulo encaminhou nesta quarta-feira (30) uma proposta à Rede Globo para que o debate eleitoral do 1º turno reúna até dez candidatos à prefeitura da capital paulista e exclua os assessores do encontro.

A emissora divulgou que, devido à pandemia do novo coronavírus e os riscos de transmissão, pretende, no 1º turno, realizar debates apenas entre os quatro candidatos mais bem colocados nas pesquisas mais recentes. A justificativa da emissora é que não haveria espaço para acomodar em seus estúdios e de maneira segura, com distanciamento social, um número maior do que esse, levando em conta que cada postulante deve ir acompanhado de assessores.

Para isso, pretende buscar acordo com as campanhas. Isso porque a legislação dá direito à participação de todos os candidatos cujos partidos ou coligações tenham representação no Congresso.

Na carta que encaminhou à Globo, o PT manifestou que se opõe a “qualquer debate que limite a participação de candidatos em desrespeito à legislação eleitoral vigente”. Assim, pretende garantir a presença legal de seu candidato, Jilmar Tatto, independentemente de seu posicionamento em qualquer pesquisa.

Em conversas com os produtores, os dirigentes petistas foram informados que os candidatos que fossem ao debate poderiam levar no mínimo dois assessores cada. Baseado nessa informação, o partido propõe que os assessores sejam vetados, elevando o número de debatedores.

A carta é assinada por Aparecido Luiz da Silva, secretário de Comunicação do Diretório Municipal do PT São Paulo.

Fabíola Salani
Fabíola Salani
Graduada em Jornalismo pela Universidade Metodista de São Paulo. Trabalhou por mais de 20 anos na Folha de S. Paulo e no Metro Jornal, cobrindo cidades, economia, mobilidade, meio ambiente e política.