terça-feira, 22 set 2020
Publicidade

Roberto Jefferson diz que ora ‘para Deus quebrar as mãos de ministros’ do STF

Pouco antes de ter seu perfil no Twitter bloqueado, o ex-deputado Roberto Jefferson (PTB) havia atacado, mais uma vez, os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Nesta sexta-feira (24), contas de bolsonaristas foram derrubadas por determinação do ministro Alexandre de Moraes, relator de inquérito no STF que apura ataques aos integrantes da Corte.

“Oro todos os dias para que Deus quebre as mãos de Barroso, Fachin e Alexandre de Moraes. Deus me permita assistir sua derrota e execração aos olhos do povo brasileiro“, postou o ex-deputado.

“Bob” Jefferson passou a atacar ministros do STF com alguma frequência desde que assumiu o bolsonarismo radical para reaparecer na cena política. Líder da tropa de choque de Fernando Collor e personagem central do mensalão, caso em que foi condenado por corrupção, ele passou a apoiador incondicional do presidente Jair Bolsonaro e figura de destaque nas negociações com o centrão do Congresso, para impedir um impeachment.

Mais cedo, Jefferson também acusou o ministro Edson Fachin de dar “asas a um processo de desconstrução” de seu partido nas eleições de 2018, denunciado por práticas irregulares no Ministério do Trabalho. Ele também atacou Luis Roberto Barroso, ministro que o teria censurado em 2014 sob pena de retornar ao regime fechado de prisão.

No dia 21 de julho, Jefferson afirmou em entrevista ao portal bolsonarista “Questione-se” que Fachin e Barroso são “sodomitas”, disparando outros insultos homofóbicos aos ministros.

No dia 9 de julho, ele usou seu perfil para pregar um golpe de Estado e ameaçar opositores de Bolsonaro. O ex-deputado publicou uma foto com uma arma na mão, afirmando que vai combater “comunistas”.

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.