Blog do Emerson Damasceno

19 de junho de 2015, 22h32

Salvem o Jô Soares

Pelo bem da elite, da direita brasileira e todos os conservadores tupiniquins, o apresentador Jô Soares tem que ser salvo.

Desde quando assumiu uma posição  – até tímida, saliente-se – em defesa da governabilidade da recém-eleita Presidenta da República, ele vem sendo alvo de ataques vários. Poucos percebem que Jô é uma voz dissonante, uma espécie de ovelha negra na chamada grande mídia brasileira. A intolerância se agravou quando ele foi a Brasília e entrevistou a Presidenta, semana passada. A conversa correu sem animosidades ou ataques, o que provocou a ira de muitos que não toleram Dilma e tentam minar seu governo desde antes mesmo de sua posse.

Por isso mesmo ele tem que ser salvo. Salvo da intolerância, salvo das agressões e até da ameaça (foto) que sofreu em forma de pichação na rua onde mora.

A preservação da vida, do Programa e da voz do apresentador da Rede Globo, ao contrário do que pensam alguns, não ajudará o governo, à República ou à própria Presidenta Dilma. Pelo contrário, manter Jô a salvo irá garantir algum resquício de lógica aos seus detratores.

Veja também:  Blogueiros bolsonaristas alegam censura e anunciam que vão deixar o Youtube

Porque efetivamente quem defende ou pensa que caminhamos para uma “ditadura bolivariana” fruto do Foro de São Paulo que transformou o Brasil em uma filial de Cuba e da Venezuela, precisa ter ao menos uma voz a favor do governo na mídia, para manter a sua delirante tese de que vivemos um regime de exceção. A pichação na Rua de Jô Soares é mais uma prova dessa intolerância que cegamente defendem.

Jô Soares – que nunca foi ícone da esquerda brasileira, é bom salientar – somente demonstrou publicamente uma posição republicana, e o fez de forma isolada, quando é sabido que na mídia televisiva de massa, a regra é a outra. Os microfones e câmeras estão, sem pudor ou censura, abertos aos críticos de Dilma e seu Governo, seja aqui, seja em Caracas. Nesse contexto, Jô é a exceção que talvez alimente a irascível tese daqueles que defendem inclusive que o País precisa de uma intervenção militar.

A oposição tem voz e vez garantida nos editoriais, nos plantões televisivos e na imensa maioria das coberturas jornalísticas de qualquer grande grupo. Por isso mesmo, Jô Soares hoje é, ironicamente, quase um alienígena, um iconoclasta a ser preservado nesse mar de jornalistas libertos. Jô, na cabeça de quem defende o extermínio do PT, Dilma, Lula e de todos seus apoiadores, deve representar o terrorista a ser combatido na tv aberta. Mais um “petralha” a ser calado.

Veja também:  Boulos desmente Weintraub sobre Paulo Freire e diz que ministro é "mentiroso e desqualificado"

Jô fez o que Xico Sá não o fez, quando a este não foi permitido publicar um texto seu em defesa de Dilma em um Jornal paulista. Por isso mesmo Jô é o último dos moicanos e a sua preservação representa para os radicais de direita, para os imbecis online, a tênue chama, a prova viva de que o Governo comanda toda a mídia e manipula a tudo e a todos, como deve ser em uma ditadura – bolivariana – que se preze.

Na verdade, a melhor intervenção que nosso País precisa – e urgente – é psiquiátrica. Para ontem.

E que Jô Soares ainda tenha muitos anos de vida pela frente, o suficiente para ver passar nessa mesma avenida pichada, um samba popular, como diria (e diz) Chico Buarque. Porque amanhã vai ser outro dia.

Vida longa, Jô!1476291_910265692367268_1770752739377214556_n


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum