Entrevista exclusiva com Lula
05 de setembro de 2019, 10h58

Samba que faz referência a Lula como ideia concorre na Mangueira para ser tema do Carnaval 2020

O primeiro verso diz: “Mangueira, a ideia não se prende, sobrevive”, em uma clara referência ao ex-presidente, que, antes de ser preso, declarou: “Eu não sou um ser humano, sou uma ideia. E não adiante tentar acabar com as ideias”

Foto: Reprodução

Para o Carnaval de 2020, a escola de samba Estação Primeira de Mangueira pode seguir a linha do vitorioso samba-enredo de 2019, que valeu seu 20º título do Grupo Especial.

Um dos sambas concorrentes para o próximo ano faz várias referências ao ex-presidente Lula e, também, a episódios de violência contra pobres e negros, ocorridos no passado e recentemente, estimulados pelo governo de Jair Bolsonaro.

Se você curte o jornalismo da Fórum clique aqui. Em breve, você terá novidades que vão te colocar numa rede em que ninguém solta a mão de ninguém

Logo o primeiro verso diz: “Mangueira, a ideia não se prende, sobrevive”, em uma clara referência a Lula. Antes de ser preso injustamente, o ex-presidente declarou: “Eu não sou um ser humano, sou uma ideia. E não adiante tentar acabar com as ideias”. O verso finaliza com a frase: “A verdade nos fará um povo livre”.

Em outros trechos, o samba diz: “Preto, pobre, a cara do morro amando Madalenas e Marias, olhou nos olhos da ganância e desmentiu os homens de ‘bem’ do Brasil”.

“Galdinos queimados nas calçadas, meninos amarrados em postes da cidade. Chorou, foi milhões de Chicos nas florestas. Por Amarildos nas favelas, teu sangue derramado em Carajás e a ‘via crucis’ racista alvejou 80 vezes um artista”, prossegue o samba.

Os compositores são Deivid Domênico, Tomáz Miranda, Mama e Márcio Bola. Intérprete: Leandrinho.

História verdadeira

Em 2019, a Mangueira, com o enredo “História pra ninar gente grande”, contou a verdadeira história do Brasil, ao homenagear heróis esquecidos como lideranças negras, indígenas e mulheres, como Marielle Franco, assassinada em 2018.

Apresentou uma visão crítica de personagens normalmente enaltecidos pelos livros de história, como os bandeirantes.

Entre os “heróis esquecidos” homenageados pela escola, estão o lendário Sepé Tiaraju, guerreiro indígena que lutou contra a dominação portuguesa e espanhola no Brasil, e mulheres negras do Quilombo dos Palmares, como Acotirene e Dandara.

Ouça o samba-enredo concorrente para o Carnaval 2020 da Mangueira:


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum