Secretário de Defesa Social de Pernambuco entrega o cargo

"Os fatos ocorridos no último sábado foram graves, e precisam ser investigados de forma ampla e irrestrita", declarou Antonio Pádua ao se demitir

O secretário de Defesa Social, Antonio de Pádua, coloco o seu cargo à disposição do governador Paulo Câmara (PSB). A secretaria é responsável pelo comando da Polícia Militar de Pernambuco (PMPE). Ele foi substituído interinamente por Humberto Freire, que é delegado da Polícia Federal (PF).

“Os fatos ocorridos no último sábado foram graves, e precisam ser investigados de forma ampla e irrestrita. Minha formação profissional e humanística repudia, de forma veemente, a maneira como aquela ação foi executada. Seis dias depois do episódio, com um novo comandante à frente da PM, com todos os procedimentos investigatórios instaurados e após prestar contas à Assembleia Legislativa, à OAB e ao Ministério Púbico, entreguei meu cargo ao governador Paulo Câmara, com a certeza do dever cumprido e mantendo nosso compromisso com a transparência e o devido processo legal”, declarou Antonio de Pádua em nota.

O agora ex-secretário, Pádua declarou ter “a plena consciência de que as instituições são mais importantes que as pessoas. E devem seguir, cada vez mais fortes e sintonizadas com os anseios de todos. Finalizo meus trabalhos neste cargo com a tranquilidade do dever cumprido e com a certeza de que a política pública de segurança do estado seguirá vitoriosa”, disse.

“Policiais atiraram para ferir os manifestantes”, diz Liana Cirne Lins, vereadora agredida em Recife

Vítima da violência policial durante manifestação contra o governo de Jair Bolsonaro, neste sábado (29), em Recife (PE), a vereadora Liana Cirne Lins (PT) criticou o despreparo dos agentes e disse que espera providências.

“Os policiais atiraram com o intuito de ferir os manifestantes. Eu lamento profundamente e espero que não apenas os responsáveis e o comandante da operação sejam responsabilizados, mas espero, também, que o governo do estado de Pernambuco compreenda a urgência para estabelecermos um novo protocolo de ação policial em casos como esse”, afirma Liana.

Com gás e bala de borracha, PM reprime protesto contra Bolsonaro em Recife

A Polícia Militar de Recife, sob chefia de Paulo Câmara (PSB), reprimiu de forma violenta o ato deste sábado (29) contra o presidente Jair Bolsonaro. Os policiais jogaram bombas de gás lacrimogênio e atiraram com balas de borracha contra os manifestantes.

Publicidade

Em vídeo que circula nas redes sociais, um militante é arrastado por dois policiais. Em outro, manifestantes correm para se proteger das bombas de gás no centro da capital pernambucana.

Publicidade

Com informações da Carta Capital

Avatar de Marcelo Hailer

Marcelo Hailer

Jornalista (USJ), mestre em Comunicação e Semiótica (PUC-SP) e doutor em Ciências Socais (PUC-SP). Professor convidado do Cogeae/PUC e pesquisador do Núcleo Inanna de Pesquisas sobre Sexualidades, Feminismos, Gêneros e Diferenças (NIP-PUC-SP). É autor do livro “A construção da heternormatividade em personagens gays na televenovela” (Novas Edições Acadêmicas) e um dos autores de “O rosa, o azul e as mil cores do arco-íris: Gêneros, corpos e sexualidades na formação docente” (AnnaBlume).

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR