Sem máscara, Bolsonaro vai a velório do PM que morreu afogado ao tentar salvar crianças

Ele entrou rapidamente no cemitério, em São Vicente, litoral de SP, e conversou com os parentes do militar

Jair Bolsonaro, conforme havia adiantado, esteve, na tarde desta quarta-feira (30), no velório e no enterro do policial militar, Diogo Gomes de Melo, de 31 anos. O cabo morreu após tentar salvar quatro crianças que se afogavam, em Itanhaém, Litoral Sul de São Paulo.

O presidente, sem máscara de proteção contra o coronavírus, como sempre, chegou ao cemitério pouco antes das 16 horas. Ele entrou rapidamente no local, que foi reservado à esposa e familiares próximos. Em uma pequena sala, durante o velório, Bolsonaro conversou com os parentes do militar.

Mais cedo, durante visita a Praia Grande, ele causou aglomeração e falou sobre a morte do policial.

“Lamentamos profundamente. Um jovem, tinha uma vida toda pela frente. Vai ficar marcado na história essa passagem do cabo da Polícia Militar de São Paulo, em mais um ato, salvando a vida de outros e entregando a sua vida”, declarou Bolsonaro.

“Realmente um herói, que deu a sua vida pela vida de algumas crianças que estavam tomando banho naquele local. Nossos sentimentos a toda a família”, acrescentou.

Sepultamento

O sepultamento estava previsto para 15 horas. Porém, foi adiado para as 17 horas. Inúmeros policiais militares compareceram para se despedir cabo. O corpo do militar foi velado no Metropolitano Cemitério Vertical, em São Vicente.

Diogo morreu ao tentar salvar o filho e três sobrinhos. Ele acabou arrastado pela correnteza, mas as crianças foram salvas por banhistas.

Avatar de Lucas Vasques

Lucas Vasques

Jornalista e redator da Revista Fórum.