Notícias

Sob Bolsonaro e Salles, focos de incêndio no Pantanal batem recorde histórico

Total alcançou 14.764 segundo o Inpe, alta de 214% sobre mesmo período do ano passado, que já tinha sido o maior em 7 anos; MT investiga ação humana

Compartilhar

O total de focos de incêndio no Pantanal bateu recorde histórico neste ano. Em boletim publicado nesta segunda-feira (14), o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) divulgou que identificou 14.764 focos. Os dados vêm desde 1998 e se referem ao período do ano até o dia 13 de setembro.

O número é 214% maior do que os 4.699 registrados no mesmo período do ano passado, que já tinha sido o mais alto desde 2012. Sob o governo Bolsonaro, com Ricardo Salles à frente do Ministério do Meio Ambiente, os níveis de queimada no bioma batem recordes.

Somente os focos de incêndio deste ano são equivalentes ao total dos seis anos anteriores, e isso lembrando que no ano passado eles já tinham sido altos.

O maior número para o período até então tinha sido registrado em 2005: 9.881 focos. Neste ano, já são 49,4% a mais.

A professora Viviane Layme, do Instituto de Biociências da UFMT, disse à CNN Brasil que a área queimada corresponde a quase 15% do bioma.

Estados

O Pantanal fica nos estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. O primeiro foi o que mais teve focos de incêndio identificados pelo Inpe no ano no país: 32.230. O número inclui outros pontos de fogo fora do bioma.

O governo mato-grossense está investigando quem são os possíveis responsáveis pelos focos de incêndio, que deram início às grandes queimadas no Pantanal neste ano.

As cinco perícias realizadas pelo Centro Integrado Multiagências de Coordenação Operacional (Ciman-MT) apontaram ação humana como causa da origem das queimadas na região.

O fogo já chega perto de cidades e estradas e os efeitos vão além da queimada no Pantanal. Neste domingo (13), o batalhão de trânsito da Polícia Militar do estado interditou por 30 minutos um trecho da Rodovia Emanuel Pinheiro (MT- 251), que liga Cuiabá a Chapada dos Guimarães. A medida foi tomada por causa do fogo e da forte fumaça que prejudicava a visibilidade dos motoristas.

Este post foi modificado pela última vez em 14 set 2020 - 22:34 22:34

Fabíola Salani

Graduada em Jornalismo pela Universidade Metodista de São Paulo. Trabalhou por mais de 20 anos na Folha de S. Paulo e no Metro Jornal, cobrindo cidades, economia, mobilidade, meio ambiente e política.

Por
Fabíola Salani

Última hora

  • Brasil

Véio da Havan financiou Allan dos Santos via Eduardo Bolsonaro, mostram mensagens

Conversas interceptadas e que estão de posse da CPI do Genocídio mostram que além dos…

24 set 2021 - 22:05
  • Brasil

Gado furioso: hashtag #CNNLixo bomba após demissão de Alexandre Garcia

Claque fanática do presidente ficou chateada com rescisão de contrato do jornalista-símbolo do bolsonarismo que,…

24 set 2021 - 21:11
  • Mídia

Manhattan Connection e TV Cultura rompem contrato

Programa causou polêmicas na emissora, apesar da curta passagem; relembre algumas

24 set 2021 - 21:08
  • Global

Premiê de Barbados repreende líderes mundiais com discurso duro na ONU

"Quantas variantes da Covid-19 serão necessárias para que haja um plano mundial de vacinação?", questionou…

24 set 2021 - 20:19
  • Brasil

Deu ruim! Alexandre Garcia é demitido da CNN por mentir sobre “tratamento precoce”

Jornalista, que nos últimos tempos vem propagando absurdos para se alinhar à lógica bolsonarista, teve…

24 set 2021 - 20:09
  • Vídeos

PEC 13 e educação: entre o direito universal e o limite fiscal

[Retransmissão] O programa Pauta Brasil receberá Nádia Ribas, a professora Rosa Neide e Heleno Araújo,…

24 set 2021 - 19:48