Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
13 de junho de 2013, 11h21

SP: Promotor que incitou violência contra manifestantes é demitido do Mackenzie

Em sua página pessoal no Facebook, Rogério Zagallo afirmou que se a tropa de choque matasse manifestantes do Movimento Passe Livre, ele arquivaria o inquérito

Em sua página pessoal no Facebook, Rogério Zagallo afirmou que se a tropa de choque matasse manifestantes do Movimento Passe Livre, ele arquivaria o inquérito

Da Redação 

O promotor de Justiça Rogério Zagallo, que publicou uma mensagem na sua página do Facebook incitando a violência da Polícia Militar contra os manifestantes do Movimento Passe Livre, não dará mais aulas na Universidade Presbiteriana Mackenzie, onde ministrava aulas de Direito Penal desde 2006. O próprio professor comunicou seu desligamento da instituição de ensino aos alunos. Segundo ele, a universidade optou por não renovar seu contrato para o segundo semestre.

Na última quinta-feira, 6, Zagallo declarou na sua página pessoal do Facebook que se a tropa de choque matasse os manifestantes, ele arquivaria o inquérito policial.

(Reprodução / Facebook)

Após a sua declaração ganhar enorme repercussão, o promotor excluiu sua postagem e publicou um pedido de desculpas. Uma das reações contrárias às declarações de Zagallo partiu da própria universidade onde lecionava. Na última segunda-feira, 10, o Centro Acadêmico de Direito do Mackenzie divulgou uma nota condenando a atitude do promotor.

“As manifestações do Sr. Zagallo, que não são as primeiras no mesmo sentido, demonstram a incapacidade na compreensão da realidade político-social do nosso país, o que, de longe, não pode e não é aceito pela comunidade acadêmica mackenzista. Muito nos entristece que a nossa Faculdade ainda seja frequentada por posicionamentos limitados e injustificáveis para quem exerce a nobre função de professor”, diz a nota.

Sobre o comentário do promotor sobre a manifestação do Movimento Passe Livre, a Universidade Mackenzie informou que mantém posição contrária a qualquer ação que incite à violência e desrespeite a liberdade. No entanto, a universidade afirma que a demissão de Zagallo ter acontecido neste momento foi uma “coincidência”. De acordo com a instituição de ensino, o desligamento foi fruto de uma “realocação de professores” no fim do semestre e que a demissão foi assinada dois dias antes dos comentários do promotor no Facebook.

Com informações do jornal O Estado de S.Paulo.   


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum