Fórumcast, o podcast da Fórum
06 de junho de 2016, 10h14

Temer homenageia Jarbas Passarinho, defensor do AI-5: ‘Grande brasileiro’

Ex-ministro do Trabalho, da Educação e da Previdência Social durante a ditadura , Passarinho, que morreu ontem (5), foi um dos principais defensores do Ato Institucional Número 5, que deu amplos poderes para o regime militar e restringiu direitos civis.

Ex-ministro do Trabalho, da Educação e da Previdência Social durante a ditadura , Passarinho, que morreu ontem (5), foi um dos principais defensores do Ato Institucional Número 5, que deu amplos poderes para o regime militar e restringiu direitos civis

Por Sul 21

O ex-governador do Pará, ex-ministro e ex-senador Jarbas Passarinho morreu na manhã deste domingo (5) aos 96 anos. Ele faleceu em sua residência, em Brasília, em decorrência de problemas de saúde relacionados à idade já avançada.

Ex-ministro do Trabalho, da Educação e da Previdência Social durante a ditadura militar, Passarinho foi um dos principais defensores do Ato Institucional Número 5, o AI-5, que deu amplos poderes para o regime militar e restringiu direitos civis. Na reunião que decretou o ato, em dia 13 de dezembro de 1968, ele disse uma célebre frase: “Às favas, senhor presidente, neste momento, todos os escrúpulos de consciência”.

Também foi notória sua perseguição a lideranças sindicais. Durante sua gestão como ministro do Trabalho, mais de cem dirigentes sindicais foram destituídos de cargos. Passarinho também foi ministro da Justiça no governo Collor.

A morte de Passarinho foi lamentada por integrantes da cúpula do governo interino. O vice em exercício, Michel Temer, lamentou a perda de um “grande brasileiro”. O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, considerou o ex-ministro como “um brilhante homem público”.

Foto de capa: Agência Brasil

Veja também:  TRE cassa mandato do governador de Sergipe

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum