Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
28 de novembro de 2016, 13h40

João Brant: Temer mentiu sobre mediar conflito no Iphan

Ex-secretário executivo do MinC afirma, em texto, que Temer insiste na tese de arbitragem como se houvesse dois órgãos envolvidos, quando na verdade não há

Por João Brant, ex-secretário executivo do MinC

Temer insiste na tese da arbitragem pela AGU, como se houvesse dois órgãos envolvidos. Não apenas não há, como é preciso dizer que no dia 14 de novembro, três dias antes do diálogo em que Temer sugeriu que enviasse o processo à AGU, houve manifestação formal de procuradora federal do Iphan (justamente a parte competente da AGU neste caso) reafirmando a legitimidade de o Iphan Nacional anular ato da superintendência da Bahia. Diz textualmente: “a presidente desta autarquia é autoridade competente para a prática de eventual ato de anulação de decisão proferida pelos Superintendentes Estaduais, a uma, porque a revisão dos atos praticados pelos Superintendentes Estaduais compete à Presidente e a duas, em decorrência do poder de rever os atos praticados pelos seus subordinados, que emana do poder hierárquico”.

Para quem não conhece a dinâmica, a AGU tem representação dentro dos órgãos, e é responsável pela análise formal dos atos da administração. A procuradora federal que deu este parecer é membro da AGU. Isto é, a AGU já tinha analisado e reafirmado que o Iphan nacional pode anular ato da superintendência regional. A anulação já tinha acontecido no dia 3 de maio, por parte de Jurema Machado, presidente do Iphan durante a gestão Juca Ferreira (desde antes, inclusive). O caso foi reaberto na gestão de Kátia Bogea e Calero por questionamento da construtora.

É preciso dizer, inclusive, que neste período eles suspenderam o embargo, o que fez a construtora avançar na obra. O embargo só passa a valer de novo agora com a reafirmação da anulação do ato.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum