O que o brasileiro pensa?
10 de setembro de 2017, 19h02

Tempos sombrios: Após protestos do MBL, mostra com temática LGBT é cancelada

A exposição “Queermuseu”, que apresenta obras de arte sobre questões ligadas à sexualidade e ao universo LGBT, estava em cartaz no Santander Cultural de Porto Alegre e foi cancelada – sem o consentimento do curador – por conta de protestos de grupos de direita, que agora acham que são críticos de arte: “Não acreditamos que as obras sejam um tipo de arte”, diz militante do MBL

Por Redação*

O Santander Cultural de Porto Alegre (RS) informou, neste domingo (10), que a exposição “Queermuseu – Cartografias da Diferença na Arte Brasileira” foi cancelada. Em cartaz desde agosto, a mostra deveria durar até outubro, mas foi encerrada graças à pressão de grupos de direita que fizeram, esta semana, um virulento ataque nas redes sociais contra a exposição.

A “Queermuseu” teve como proposta dar visibilidade a questões do universo LGBT presentes na sociedade e na cultura, assim como promover uma revisão de obras e artistas marginalizados. A exposição colocou em cartaz cerca de 270 trabalhos assinados por 85 artistas, entre eles nomes renomados como Leonilson e Lygia Clark, em suportes como pintura, gravura, fotografia, serigrafia, desenho, colagem, cerâmica, escultura e vídeo, emprestadas por coleções públicas e privadas brasileiras. Em alguns desse trabalhos a sexualidade é tratada de maneira explícita, em outras, de forma abstrata.

Grupos de direita como o Movimento Brasil Livre (MBL), no entanto, acusaram a exposição de promover da “blasfêmia contra símbolos católicos” e até pedofilia. Por uma questão ideológica, esses grupos agora acreditam que possam trabalhar como críticos de arte ao ponto de dar declarações como essa: “Não acreditamos que as obras de Queermuseu sejam um tipo de arte e muito menos que as crianças tenham acesso a esse tipo de coisa”. A fala foi feita por Paula Cassol, coordenadora do MBL no Rio Grande do Sul.

Ao jornal Zero Hora, o curador da mostra, Gaudêncio Fidélis, informou que sequer foi consultado sobre o encerramento da exposição.

“Eu não fui consultado em nenhum momento sobre isso e ninguém do Santander entrou em contato comigo ainda. Sou absolutamente contra o fechamento”.

Confira, abaixo, a íntegra da nota do Santander Cultural sobre o caso.

 



Leia também: “Fascistas do MBL abortam exposição de arte”

*Com informações do Zero Hora 


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum