Ouça o Fórumcast, o podcast da Fórum
03 de dezembro de 2019, 18h18

Tropa de Choque invade Assembleia do Paraná para reprimir servidores

Prédio da Assembleia Legislativa foi ocupado; além de um professor ferido e uma professora que está hospitalizada, outras três pessoas foram atendidas pelas equipes de saúde com problemas por conta do spray de pimenta nos olhos

Fotos: Reprodução/Twitter Mídia Ninja

Por Manoel Ramires, do Brasil de Fato

O prédio da Assembleia Legislativa do Paraná foi ocupado nesta tarde de terça (3).

O movimento começou após a presidência da Casa limitar a 250 pessoas para acompanhar a sessão. O funcionalismo em greve protesta contra a Reforma da Previdência estadual. O governo quer elevar alíquotas, congelar reajustes e retirar direitos. Tramitando em regime de urgência, o projeto está previsto para ser votado na próxima quarta (4).

Nesta terça (3), mais de 5 mil pessoas realizam uma marcha em direção ao Palácio Iguaçu. São servidores de todas as regiões do estado que exigem que o governador Ratinho Junior (PSD) retire da Assembleia Legislativa os projetos que alteram a aposentadoria dos servidores.

O funcionalismo público é contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 16/2019 e os projetos de lei 855 e 856 que aumentam alíquotas, não preveem reajuste das aposentadorias e benefícios, e limitam o valor da aposentadoria complementar.

As alterações já foram aprovadas na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do legislativo estadual. O governo do estado havia se comprometido a não enviar alteração na aposentadoria do funcionalismo antes da conclusão do projeto no Congresso Nacional. A PEC Paralela de n° 133, que trata do assunto, foi enviada à Câmara dos Deputados no último dia 28 de novembro. Ou seja, suas regras ainda vão ser debatidas.

A expectativa era de que a votação em primeiro turno acontecesse no dia 4 de dezembro e a segunda votação no dia 17 para que as mudanças passem a valer em 2020. A sessão de hoje foi suspensa após a ocupação de centenas de servidores.

Feridos

Os deputados avaliam que a situação é tensa. Além de um professor ferido e uma professora que está hospitalizada, outras três pessoas foram atendidas pelas equipes de saúde com problemas por conta do spray de pimenta nos olhos e passam bem.

De acordo com reportagem do Brasil de Fato Paraná no local, mais de cem policiais militares esvaziaram o comitê da imprensa no interior da Alep e entraram no local, com hostilidades e ameaças. A sessão foi suspensa e deve ser retomada amanhã (dia 4).

Com informações de Ana Carolina Caldas


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum