domingo, 20 set 2020
Publicidade

UNE lamenta morte de estudante assassinado pelo pai

A entidade prestou luto a família de Guilherme e disse estar “preocupada” com a motivação do crime.

Por Redação

A UNE (União Nacional dos Estudantes) divulgou uma nota nesta quarta-feira (16) lamentando a morte do estudante Guilherme Silva Neto, de 20 anos, e do seu pai Alexandre José da Silva Neto, ocorrida no final da tarde da terça-feira (15).

A entidade prestou luto a família de Guilherme e disse estar “preocupada” com a motivação do crime.

“Embora o caso revele uma relação particular entre pai e filho, a UNE enxerga com preocupação o fato de que a morte de Guilherme tenha envolvido uma discussão sobre as suas preferências políticas e a intolerância que isso gerou no ambiente familiar”.

Guilherme queria participar da reintegração de posse de uma unidade ocupada no município e o pai, o engenheiro civil Alexandre José da Silva Neto, de 60 anos, não teria deixado.

Se você está gostando desta matéria, apoie a Fórum se tornando sócio. Pra fazer jornalismo de qualidade nós precisamos do seu apoio.

De acordo com a Polícia Civil, Guilherme teria sido alvejado com quatro disparos mas teria conseguido ainda fugir, mas foi alcançado pelo pai, que disparou mais algumas vezes e, em seguida, disparou a arma contra a própria cabeça. Ele morreu no hospital na mesma noite.

Leia a nota:

A União Nacional dos Estudantes lamenta profundamente a morte do estudante Guilherme Silva Neto, de 20 anos, e do seu pai Alexandre José da Silva Neto, ocorrida no final da tarde da terça-feira (15). Neste momento de imensa consternação, a UNE presta solidariedade e respeita o luto da família e amigos.

Guilherme era estudante de Matemática da Universidade Federal de Goiás e participava do movimento estudantil; fazia parte do Diretório Acadêmico do seu curso e no último período era um ativo militante da ocupação da UFG contra a PEC 55, ação pacífica que têm mobilizado jovens em todo o Brasil em defesa da educação.

Embora o caso revele uma relação particular entre pai e filho, a UNE enxerga com preocupação o fato de que a morte de Guilherme tenha envolvido uma discussão sobre as suas preferências políticas e a intolerância que isso gerou no ambiente familiar.

Em um momento delicado da política brasileira e mundial, em que temos presenciado manifestações de ódio exacerbado contra os movimentos sociais, a UNE entende que é necessário reafirmarmos o diálogo e a democracia como principal saída para os diferentes pensamentos existentes na sociedade.

União Nacional dos Estudantes
16 de novembro de 2016

 

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.