Vacinados nos EUA, Sônia e Estevam Hernandes promovem aglomeração em retomada de cultos em SP

Estrategicamente, a transmissão online do culto não mostrou o público presente

Sem máscara, a bispa Sônia Hernandes, da igreja Renascer em Cristo, pregou nesse domingo (18), para uma multidão na sede localizada no bairro da Mooca, zona leste da cidade de São Paulo. Antes do culto em si, a religiosas usou as suas redes para divulgar o encontro.

Apesar da piora do número de casos de infecção por coronavírus, o governo João Doria (PSDB) deu início, neste domingo (18), a chamada de “fase de transição” do Plano SP de combate à pandemia, onde bares, restaurante e espaços religiosos puderam retomar as atividades com restrições de horário e de público.

A bispa Sônia Hernandes usou as suas redes sociais para divulgar e, posteriormente, comemorar a realização do culto que promoveu aglomeração, o que contraria os protocolos sanitários de combate ao coronavírus. “Deus nos inundou com a sua Glória e eu creio que cada um que foi ali ministrado, saiu pronto para ver o Poder dele agir em nossas vidas”, escreveu a religiosa.

De acordo com o protocolo da Fase de Transição do Plano SP, as reuniões religiosas presenciais podem acontecer com até 25% da capacidade do espaço, a mesma regra vale para os outros estabelecimentos comerciais que voltam a funcionar a partir desta semana.

Para evitar margem de especulação quanto ao número de pessoas presentes no culto, que foi transmitido ao vivo pelas redes, não foram realizadas imagens das pessoas presentes no culto.

Vacinados nos EUA

Seguindo o exemplo de Edir Macedo, bispo fundado da Igreja Universal do Reino de Deus, os bispos Estevam Hernandes e Sônia Hernandes foram aos EUA, mas especificamente na Flórida, para receberem a vacina contra o coronavírus.

Se o casal líder e fundador da Igreja Renascer em Cristo tivesse optado por esperar a sua vez na fila de vacinação brasileira, teriam que esperar mais um tempo para receber o imunizante, isso por conta da idade de ambos: Sônia tem 62 anos, e Estavam, 67.

Apoio presidencial e perdão bilionário

A bispa Sônia Hernandes e o bispo Estevam Hernandes foram militantes ativos em prol da candidatura do então postulante à presidência da República, Jair Bolsonaro (sem partido).

Desde que foi eleito, o presidente Bolsonaro atua para não perder o apoio do casal fundador da Igreja Renascer em Cristo, bem como de outros líderes evangélicos, tais como Edir Macedo (Universal) e o pastor Silas Malafaia (Assembleia de Deus), pois, todos esses líderes possuem representantes na chamada Bancada da Bíblia.

O exemplo mais recente dessa relação entre os religiosos evangélicos e o presidente da República, foi quando Bolsonaro vetou dispositivo que perdoava a dívida das igrejas. Porém, após almoço realizado com as lideranças religiosas, o Congresso Nacional derrubou o veto presidencial sobre à medida que visava isentar as igrejas em relação ao pagamento da Contribuição Social sobre Lucro Líquido (CSLL) e às multas por não quitação do tributo, que somavam R$ 1 bilhão.

Avatar de Marcelo Hailer

Marcelo Hailer

Jornalista (USJ), mestre em Comunicação e Semiótica (PUC-SP) e doutor em Ciências Socais (PUC-SP). Professor convidado do Cogeae/PUC e pesquisador do Núcleo Inanna de Pesquisas sobre Sexualidades, Feminismos, Gêneros e Diferenças (NIP-PUC-SP). É autor do livro “A construção da heternormatividade em personagens gays na televenovela” (Novas Edições Acadêmicas) e um dos autores de “O rosa, o azul e as mil cores do arco-íris: Gêneros, corpos e sexualidades na formação docente” (AnnaBlume).