Vereador do MBL é expulso do Patriota após criticar entrada de Flávio Bolsonaro: “não faço fileira com criminoso”

Rubinho Nunes, conhecido como advogado do MBL, diz que condicionou sua entrada, em 2020, a jamais ter um Bolsonaro no partido

O vereador paulistano Rubinho Nunes, conhecido como advogado do MBL (Movimento Brasil Livre), foi expulso do Patriota na última segunda-feira (7). De acordo com ele, em postagem na sua conta do Twitter, nesta quinta-feira, sua expulsã foi por não aceitar a filiação do senador Flávio Bolsonaro e a alteração do estatuto do partido para dar plenos poderes ao presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido).

O vereador diz que sai “de cabeça erguida, fiel a meus valores que, ao contrário do Patriota, não estão à venda”.

Rubinho declarou ainda à coluna de Mônica Bergamo: “Eu não faço fileira com a família Bolsonaro, com bandido, criminoso. Vou tocar a minha vida bem longe deles”.

Durante a convecção que determinou sua saída, o advogado disse também que não está a fim de brigar, “mas não vou anuir e concordar com a presença de figuras criminosas como os Bolsonaros”.

Ele se filiou ao Patriota em março de 2020 para concorrer a uma vaga na Câmara Municipal de São Paulo. Ele conta que na ocasião perguntou se havia a possibilidade de algum membro da família do presidente se juntar à legenda. “Se sim, eu não me filiaria. Me foi garantido que jamais viria um Bolsonaro para o partido. Recentemente, perguntei de novo, e foi reiterado que eles não viriam.”

Com informações da coluna de Mônica Bergamo

Avatar de Julinho Bittencourt

Julinho Bittencourt

Jornalista, editor de Cultura da Fórum, cantor, compositor e violeiro com vários discos gravados, torcedor do Peixe, autor de peças e trilhas de teatro, ateu e devoto de São Gonçalo - o santo violeiro.