“Vidas idosas importam”, movimento repudia fala de Janaina Paschoal e diz que é “geronticídio”

A deputada afirmou que é preciso priorizar a vida dos mais jovens para que "haja um futuro"

O movimento Vidas Idosas Importam emitiu uma nota de repúdio à deputada estadual Janaína Paschoal (PSL-SP) que, na última sexta-feira (26) declaro em suas redes que é preciso priorizar os mais jovens para que “haja futuro”.

“O simples fato de levantar essa questão de prioridades no atendimento hospitalar da população brasileira é de total irresponsabilidade, neste momento crítico pelo qual o país está atravessando, com seu sistema de Saúde entrando num colapso generalizado, por todo o Brasil”, diz a nota.

Para o movimento, “a declaração de Janaína Paschoal, caracteriza idadismo, etarismo ou ageísmo (discriminação de pessoas pela idade), assim como institui uma cultura de banalização da vida contra pessoas idosas, dialogando com o geronticídio já instaurado desde o início da pandemia”.

Janaína Paschoal pede menos recursos de Covid para idosos

A deputada estadual Janina Paschoal (PSC-SP) foi às redes defender que os recursos disponíveis para o combate à Covid-19 sejam utilizados para salvar os jovens e deixar as pessoas mais velhas ao relento.

“Eu me preocupo com todas as vidas! Mas as vidas daqueles que viveram menos me preocupam mais. Aliás, penso que já estejamos no momento de estabelecer claramente regras para priorizar o uso dos recursos disponíveis: leitos, respiradores, etc. É pesado, mas é necessário!”, declarou Paschoal.

Avatar de Marcelo Hailer

Marcelo Hailer

Jornalista (USJ), mestre em Comunicação e Semiótica (PUC-SP) e doutor em Ciências Socais (PUC-SP). Professor convidado do Cogeae/PUC e pesquisador do Núcleo Inanna de Pesquisas sobre Sexualidades, Feminismos, Gêneros e Diferenças (NIP-PUC-SP). É autor do livro “A construção da heternormatividade em personagens gays na televenovela” (Novas Edições Acadêmicas) e um dos autores de “O rosa, o azul e as mil cores do arco-íris: Gêneros, corpos e sexualidades na formação docente” (AnnaBlume).