o colunista

por Cleber Lourenço

15 de junho de 2019, 08h52

O rei da lava jato e sua prepotência

Cleber Lourenço: "Assistimos aos poucos o mar de lama chegar na porta da Rede Globo, não se tornou mais um “e se..." mas sim uma questão de tempo para que a emissora seja atingida de forma frontal. Se Moro era o “popstar”, a Globo era seu palco"

Sergio Moro (Foto: Arquivo/Lula Marques)

Começamos este final de semana com novas revelações do The Intercept Brasil e elas são de se revoltar qualquer pessoa minimamente preocupada com o Estado democrático de direito (não confundir com o governo Bolsonaro: o estado “democrático” de direita). Os novos vazamentos mostram que Moro não só descartava previamente qualquer argumento da defesa de Lula como debocha deles: “a defesa já deu seu showzinho”.

E o linchamento ao Estado democrático de direito não parou por aí! Moro também mentiu em sua entrevista desta última sexta-feira (14) ao Estadão , afirmando que só tinha conversas banais e “comuns” com os promotores, negando que já tivesse participado de uma estratégia.

Os vazamentos recentes mostram que Moro comandou diretamente o processo contra Lula enquanto fingia ser um juiz “neutro”. Acontece que o “Duce” de Maringá era tão poderoso que fez o próprio Deltan prestar esclarecimentos antes do mesmo informar que não seguiria suas recomendações.

Moro coordenou e fez até mesmo a Ascom dos procuradores de tal forma que entrou inclusive em rota de colisão com a Ascom oficial do MPF.

Sim, Moro estava obstinado em julgar Lula e não só isso, ele queria ter o pleno domínio da narrativa.

Veja também:  Jornal Nacional ignora novas revelações da Vaza Jato

Enquanto isso, assistimos aos poucos o mar de lama chegar na porta da Rede Globo, não se tornou mais um “e se…” mas sim uma questão de tempo para que a emissora seja atingida de forma frontal. Se Moro era o “popstar”, a Globo era seu palco.

A leitura dos fatos é uma só: Se o Duce de Maringá virar político de vez e sair da plataforma de “isentão”, Bolsonaro demite ele, para piorar ainda vai ser cacetado pelo Carluxo como forma de queimar seu capital político. Embora não se fale muito, o Bolsonarismo pretende disputar as eleições em 2022 e Moro não é visto como representante deles, logo, caso ele deixe escancarado sua intenção de disputar o Planalto, será visto como inimigo.

Essa semana eu falei sobre o assunto, mas não custa nada reforçar… A Lava Jato é um partido, esse sob o comando de Moro, que seria uma espécie de Lula às avessas desse pessoal. E esse grupo é composto por integrantes do Ministério Público, Judiciário e, por fim, Polícia e Receita Federal, ainda não possuem CNPJ, razão social e legenda, mas atuam ativamente na política nacional, preocupante? Certamente.

Veja também:  Glenn dá invertida em Moro: "Reportar o comportamento dele significa apoiar a corrupção, como se fosse o padre da ética"

Moro até Abril tentou ser “chefe” do presidente acumulando o comando do Coaf, do DRCI (Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional), além da própria PF, uma centena de procuradores ao redor do país como os vazamentos provaram e de forma indireta, da PGR com Deltan ou algum comparsa próximo. Primeiro perdeu o COAF, depois todo o resto.

O fato é um só: o STF era um plano B. Exagero? Não para Rosangela Moro, mulher do ministro, em uma foto publicada no dia 8 de fevereiro no Instagram ela disse: “Já estou iniciando HOJE campanha para 2022. Vamos anotando no nosso caderninho”.

Quando Moro viu o show de horrores que seria o Bolsonarismo, decidiu voltar seus olhos para o STF vendo que não poderia capitalizar o desastroso governo para sua campanha, acontece que o The Intercept enterrou de vez as chances de ser ministro, agora só lhe resta a campanha.

Ainda acha que estou exagerando? Qualquer ministro já teria renunciado antes mesmo de tal escândalo. Se lembram da humilhação que Bolsonaro impôs à Moro? Bolsonaro prometeu total independência para Moro, Independência que foi rapidamente tolhida no episódio envolvendo Illona Szabó, Moro sequer pode escolher uma conselheira para um órgão que tem como simples finalidade a consulta. Ele suportou a humilhação esperando mais. Agora não tem nada. Apenas um punhado de prestígio que pode lhe carregar para 2022 incomodando o Bolsonarismo.

Veja também:  Janaina Paschoal critica Eduardo Bolsonaro por abandonar mandato e eleitores em troca de embaixada

Moro não chega em 2020 e se chegar será respirando por aparelhos.

Aos “lavajateiros”de plantão: não é o The Intercept que está tentando acabar com a lava jato e tirando Lula da cadeia. Quem irá tirar Lula da cadeia será a dupla Moro/Deltan. Apenas eles – e unicamente eles – são os culpados pelo desgaste que a operação sofre, eles são os responsáveis por tentar acabar com a operação.

Antes tivesse escutado o “assessor 2” mais vezes. Sim. Moro e Deltan podem acabar com a lava jato e tudo isso por esquecerem que uma coisinha simples que mencionei no início do texto: O Estado democrático de direito.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum