Imprensa livre e independente
08 de novembro de 2017, 19h21

O silêncio ensurdecedor da Globo com relação ao racismo de William Waack

Já se passaram horas desde que o vídeo do âncora do Jornal da Globo falando sobre “coisa de preto” vazou e, mesmo diante da enorme repercussão negativa, a emissora, cujo diretor de jornalismo diz que “não há racismo no Brasil”, ainda não emitiu uma palavra sequer sobre o assunto Por Redação *Matéria atualizada às 22h de 8/11/2017 Fórum foi um dos primeiros veículos a noticiar o vídeo do jornalista William Waack dizendo que o barulho de buzinas que o incomodava durante uma transmissão era “coisa de preto”. Isso foi por volta das 16h30 desta quarta-feira (8). Passadas horas da divulgação...

Já se passaram horas desde que o vídeo do âncora do Jornal da Globo falando sobre “coisa de preto” vazou e, mesmo diante da enorme repercussão negativa, a emissora, cujo diretor de jornalismo diz que “não há racismo no Brasil”, ainda não emitiu uma palavra sequer sobre o assunto

Por Redação

*Matéria atualizada às 22h de 8/11/2017

Fórum foi um dos primeiros veículos a noticiar o vídeo do jornalista William Waack dizendo que o barulho de buzinas que o incomodava durante uma transmissão era “coisa de preto”. Isso foi por volta das 16h30 desta quarta-feira (8). Passadas horas da divulgação do vídeo, a TV Globo, mesmo diante da enorme repercussão negativa (o assunto já é primeiro lugar nos Trending Topics do Twitter), não emitiu uma palavra sequer sobre o assunto.

A reportagem da Fórum telefonou para três contatos de assessoria de imprensa da Globo. Nenhuma das chamadas foi atendida. No canal de imprensa do portal G1 ou mesmo no jornal O Globo, não há nenhuma linha sobre o ocorrido, nem mesmo uma tentativa de defesa ou de deslegitimação do vídeo vazado.

Veja também:  Ministro do Meio Ambiente se esquiva sobre Noronha

Nas redes, internautas e figuras públicas cobram a demissão do jornalista pela frase que já entrou para os anais do jornalismo.

O deputado federal Jorge Solla (PT-BA), por exemplo, foi um dos que repercutiu o assunto nas redes e exigiu a demissão do âncora do Jornal da Globo.

“Que Waack era golpista, já está explícito no ódio diário que destila contra a esquerda, mas que era racista… O que Waack fez em nosso país é crime e se a Globo é uma empresa que zela pela audiência do público negro, precisa não só pedir desculpas, mas punir o seu empregado. Não dá para uma cabeça que está no século XIX ser o editor-chefe de um jornal em 2017”, escreveu o parlamentar em seu Facebook.

*Atualização

Após quase 6 horas desde que o vídeo com a declaração racista de Waack começou a circular pelas redes sociais, a TV Globo publicou uma nota no portal G1 informando que afastará o jornalista de suas funções “até que a situação seja esclarecida”.

Confira, abaixo, a íntegra da nota.

Veja também:  Vaza Jato: Em nota, Moro nega ter liberado dinheiro para Dallagnol fazer vídeo publicitário

A Globo é visceralmente contra o racismo em todas as suas formas e manifestações. Nenhuma circunstância pode servir de atenuante. Diante disso, a Globo está afastando o apresentador William Waack de suas funções em decorrência do vídeo que passou hoje a circular na internet, até que a situação esteja esclarecida.

Nele, minutos antes de ir ao ar num vivo durante a cobertura das eleições americanas do ano passado, alguém na rua dispara a buzina e, Waack, contrariado, faz comentários, ao que tudo indica, de cunho racista. Waack afirma não se lembrar do que disse, já que o áudio não tem clareza, mas pede sinceras desculpas àqueles que se sentiram ultrajados pela situação.

William Waack é um dos mais respeitados profissionais brasileiros, com um extenso currículo de serviços ao jornalismo. A Globo, a partir de amanhã, iniciará conversas com ele para decidir como se desenrolarão os próximos passos.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum