Raphael Silva Fagundes

25 de março de 2019, 21h56

O socialismo salvou o mundo do fascismo uma vez e agora precisa salvá-lo novamente

“Todos que não concordam com a ascensão da extrema direita, com a intolerância que isso representa, precisam imediatamente pensar no socialismo, pois sem este o que nos restará será apenas a barbárie”, diz Raphael Fagundes

Foto: Wikimedia Commons

…a história conta o tempo da partida…

Um dos maiores enganos disseminados pela burguesia é a afirmação leviana de que o socialismo foi derrotado. A ascensão da extrema direita nos dias atuais pode mostrar mais uma vez a força das ideias de Marx e Engels.

Se de fato o socialismo foi derrotado, não haverá armas contra a extrema direita, pois a burguesia não é tão contrária assim ao enrijecimento da dominação capitalista. Os liberais pouco se importaram com a ascensão do fascismo na Europa e, somente depois que Hitler mostrou sua ambição e quando os japoneses atacaram os EUA, é que se percebeu a necessidade de combatê-lo. O problema não era o fascismo, mas seu caráter expansionista.

Contudo, a extrema direita de hoje não tem tanto ódio ao liberalismo como a de outrora, pelo contrário, é, em muitos casos, liberal. Sendo assim, a única força contrária a essa nova roupagem do fascismo seria o socialismo.

(É lógico que se o governo de Bolsonaro, por exemplo, fosse fascista, eu não escreveria este texto e sairia ileso. Uso o termo apenas para classificar a face mais agressiva do capital sobre o trabalhador e sobre as liberdades individuais. Conceitos mudam com o tempo).

Veja também:  Governo volta atrás sobre liberar FGTS

Podemos chegar à conclusão de que a ascensão da extrema direita está ligada diretamente ao enfraquecimento das esquerdas. Ou, até mesmo, à reformulação pela qual estas passaram após a queda da URSS e depois nos anos 2000, momento em que se aproximaram perigosamente da Terceira via.

As esquerdas aliaram-se aos liberais como o sapo que pediu ajuda ao escorpião para atravessar o rio. Hoje, os liberais participam da destituição da esquerda e alimentam o pior inimigo dela, o fascismo.

Para todos que desejam uma sociedade mais inclusiva, com maior justiça social, aderir ao socialismo é a única opção viável, já que não há nenhuma força historicamente constituída capaz de combater a face mais perversa do capitalismo.

Uma vez Antonio Candido disse que a parte humana do capitalismo é fruto do sangue e suor dos socialistas que lutaram no passado. As leis trabalhistas, as garantias sociais etc., todas essas conquistas têm a garra dos socialistas. Até governos fascistas antanhos tiveram que ceder a essa pressão. E hoje? Sem o socialismo, de onde virá a pressão? Há uma filosofia mais consistente, capaz de libertar o povo da ambição ilimitada do capital?

Veja também:  Censura a Miriam Leitão é ação da Ku Klux Klan ideológica tupiniquim

A extrema direita embrutece o capital, o socialismo embrutece os trabalhadores conscientizando-os da brutalidade dos patrões. É disso que se trata. A extrema direita quer nos transformar em seres dóceis, fáceis de manipular. A única forma de ser contra a extrema direita é ser socialista. É inequívoco. Foi o comunismo que venceu o fascismo. O Exército Vermelho chegou à Berlim, guerrilheiros de esquerda assassinaram Mussolini. Os comunistas libertaram os judeus dos campos de concentração.

Àquela época o nazismo tinha o objetivo de combater o avanço do socialismo, embora, por seu turno, não vivia às graças com o liberalismo. Hoje, a cadela do fascismo cruzou com o liberalismo em uma luta para impor os interesses capitalistas como se fosse um golpe em um corpo socialista agonizante.

A Coreia do Norte se abre para o mundo; Cuba tem a visita da família real inglesa; mais imperialista que a China impossível; o Vietnã, por seu turno, é o maior parceiro dos EUA no sudoeste da Ásia. A brutalidade capitalista agiganta-se e monopoliza o mundo.

Sem uma mobilização de cunho socialista não será possível a superação dessa fase do capitalismo, que retorna ao lado de um modelo econômico liberal, que monopolizou as economias de diversos países, inclusive dos que são comandados por partidos socialistas.

Veja também:  Presidente do Grupo Companhia das Letras, Luiz Schwarcz troca socos com homem na Flip

Enquanto a extrema direita vivia nos porões da política, a aliança entre socialismo e liberalismo (que só poderia parir uma aberração) pareceu agradável para muitos. Mas a aliança entre o fascismo e o liberalismo? Certamente não agrada aos socialistas, mas estes terão forças para reagir? Ficarão nos porões como a extrema direita ficou por décadas?

Quando da ascensão fascista nos anos 1930, o socialismo era forte, caminhava-se para uma potência. E agora?

Todos que não concordam com a ascensão da extrema direita, com a intolerância que isso representa, precisam imediatamente pensar no socialismo, pois sem este o que nos restará será apenas a barbárie.

*Este artigo não reflete, necessariamente, a opinião da Revista Fórum.