Imprensa livre e independente
01 de março de 2019, 21h22

Operador do PSDB, Paulo Preto é novamente denunciado pela Lava Jato

Acusação indica que ele exigiu, entre 2007 e 2010, propinas de 0,75% a 5% do valor medido em obras viárias do estado de São Paulo

Foto: Geraldo Magela/Agência Senado
O ex-diretor da Dersa, Paulo Vieira de Sousa, o Paulo Preto, operador do PSDB, foi novamente denunciado pelo Ministério Público Federal, nesta sexta-feira (1). A acusação indica que ele exigiu, entre 2007 e 2010, propinas de 0,75% a 5% do valor medido em obras viárias do estado de São Paulo. Esta denúncia já foi recebida pelo juiz federal Diego Paes Moreira. De acordo com os procuradores, de R$ 126 milhões atribuídos a Paulo Preto em contas da offshore Groupe Nantes, localizadas na Suíça, de sua propriedade, R$ 27 milhões teriam origem em um esquema de corrupção montado em sua gestão...

O ex-diretor da Dersa, Paulo Vieira de Sousa, o Paulo Preto, operador do PSDB, foi novamente denunciado pelo Ministério Público Federal, nesta sexta-feira (1). A acusação indica que ele exigiu, entre 2007 e 2010, propinas de 0,75% a 5% do valor medido em obras viárias do estado de São Paulo.

Esta denúncia já foi recebida pelo juiz federal Diego Paes Moreira. De acordo com os procuradores, de R$ 126 milhões atribuídos a Paulo Preto em contas da offshore Groupe Nantes, localizadas na Suíça, de sua propriedade, R$ 27 milhões teriam origem em um esquema de corrupção montado em sua gestão na Dersa.

Condenação

Na quinta-feira (28), o tucano foi condenado a uma pena de 27 anos e oito dias, em sentença da juíza federal Maria Isabel do Prado. Conforme a magistrada, sete anos precisam ser cumpridos em regime fechado.

A acusação do Ministério Público Federal de São Paulo aponta que ele fraudou licitações e participou de formação de cartel em obras do trecho sul do Rodoanel e do Sistema Viário Metropolitano de São Paulo.

Veja também:  Reinaldo Azevedo anuncia mais um vazamento que envolve ministro do STF e Dallagnol

O operador tucano está preso preventivamente desde o dia 19 de fevereiro pela 60ª Fase da Operação Lava Jato, na sede da Polícia Federal em São Paulo. Aguarda transferência para Curitiba.

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum