LULA

Juntos com Lula para reconstruir o Brasil - Por Raimundo Bonfim

Nós, dos movimentos populares e do campo progressista, estamos lutado desde o golpe de 2016 contra os retrocessos políticos, econômicos, sociais, culturais e ambientais praticados em nosso país

Evento de lançamento da chapa e pré-candidatura de Lula.Créditos: Ricardo Stuckert
Escrito en OPINIÃO el

A Central de Movimentos Populares (CMP) participou, recentemente, de um momento histórico, para a retomada da democracia no Brasil, dos direitos, das políticas públicas e da soberania: o lançamento da pré-candidatura de Lula à Presidência da República. Digo histórico sem medo de errar porque trata-se do ponto alto da luta que os movimentos populares têm protagonizado contra o governo genocida de Jair Bolsonaro que tem trazido fome, desemprego e miséria para o Brasil. 

Nós, dos movimentos populares e do campo progressista, estamos lutado desde o golpe de 2016 contra os retrocessos políticos, econômicos, sociais, culturais e ambientais praticados em nosso país. Em oito anos, o Brasil regrediu pelo menos 40, lembrando muito o país de 1989, atrasado, com inflação alta e desemprego. Por isso, foi tão simbólico ver a releitura do jingle “Lula Lá, Brilha uma Estrela”, no Expo Center Norte, com novos artistas nos trazendo a sensação de que há esperança de dias melhores. 

Aliás, toda essa emoção nos fez lembrar da força do povo, das muitas provações praticadas nos últimos anos pela burguesia como os 580 dias de prisão injusta do ex-presidente Lula, da perseguição orquestrada por amplos setores da mídia, dos militares, do capital e do congresso nacional. Tentaram, mas não conseguiram nos intimidar nem abafar nossa resistência e as vozes dos movimentos populares, sociais, estudantis e sindicais. Por isso, chegar a esse momento é sem dúvida um grande passo. 

É um grande feito para todos nós, mas sabemos que não existe eleição ganha por antecedência, que o jogo só termina quando o juiz apita e que não existirá vitória sem combate e muita luta. E, por essa razão, os movimentos populares e sociais seguirão mobilizados e tendo a compreensão de que a batalha eleitoral deste ano é a mais importante e decisiva para o destino do país. 

Neste sentido, nossa primeira missão é vencer a eleição, depois assegurar a posse e, num terceiro momento, garantir que o próximo governo seja o mais progressista possível, fazendo as mudanças necessárias como, por exemplo, as revogações das reformas Trabalhista e da Previdência, a retomada de investimentos em obras de infraestrutura, políticas sociais e o fim das privatizações no país. 

Enquanto trabalhamos na construção de um plano de governo para reconstruir o Brasil, com o avanço das ações que antecedem as eleições, Bolsonaro ataca a votação por sistema de urna eletrônica para esconder a carestia, o desemprego e as más condições econômicas em que o Brasil se encontra. Seu objetivo é criar uma narrativa para justificar o questionamento dos resultados das eleições em outubro. Então, só com organização, consciência de classe e mobilização será possível reconduzir o ex-presidente Lula ao Palácio do Planalto. E é por essa razão que nós, dos movimentos populares e sociais, participaremos ativamente de todo o processo eleitoral. 

Esta é uma missão difícil, mas sabemos que com a experiência que ganhamos durante esses anos de luta, teremos a força necessária para vencer a eleição. Como um dos representantes dos movimentos populares, posso dizer que a população brasileira pode contar conosco nesta jornada. Estaremos alertas e prontos para que o Brasil volte a trilhar o caminho do desenvolvimento com políticas de combate à fome, a criação de emprego, a ampliação de investimentos em educação, ciência, além da proteção do meio ambiente, entre outras mudanças prioritárias para a reconstrução do país. Vamos, juntos e juntas, reconstruir o Brasil!

*Este artigo não reflete, necessariamente, a opinião da Fórum 

Temas