A COP DO PETRÓLEO

Os lobistas e os patrocinadores das COPs - por Luiz Marques

A COP28 nos Emirados Árabes Unidos rasgou a fantasia e deixou explícito o controle do evento pela indústria do petróleo. Seu presidente, o sultão Ahmed Al-Jaber, é igualmente presidente da Empresa Nacional de Petróleo de Abu Dhabi. A COP aboliu os intermediários

Sultão Ahmed Al-Jaber, presidente da petroleira ADNOC e da COP28.Créditos: ADNOC / Reprodução
Escrito en OPINIÃO el

A COP28 é a COP do petróleo, com um pavilhão da OPEP plantado bem no meio dela.

Mas vamos lembrar que as anteriores foram apenas um pouco menos explícitas. A COP26 credenciou 503 pessoas ligadas aos lobbies dos combustíveis fósseis. O número desses lobistas com acesso à “zona azul”, reservada às negociações oficiais, era maior que a da delegação de qualquer país.

Já a COP27 credenciou 636 lobistas “explícitos” dessa indústria em suas delegações oficiais. Nada menos que 29 países trouxeram um total de 200 lobistas credenciados nessas delegações. Havia 70 lobistas ligados ao petróleo e gás na delegação dos Emirados Árabes Unidos e 33 dos 150 membros da delegação da Rússia tinham vínculos diretos com a indústria fóssil desse país. Esses lobistas, apinhados nos corredores e nas mesas das negociações no balneário de Sharm el-Sheikh, eram mais numerosos do que os membros de qualquer delegação nacional da África nessa COP supostamente “africana”. A delegação da Mauritânia incluía, de resto, o próprio Bernard Looney, o atual CEO da British Petroleum, e mais quatro funcionários dessa corporação.

Esse tipo de conflito de interesses estende-se à escolha de patrocinadores das COPs. Sim, mesmo os mais ricos países anfitriões recorrem a patrocinadores, como se uma COP fosse um campeonato esportivo. E que patrocinadores! Vejamos os exemplos das quatro COPs anteriores à COP28. A COP24, realizada em 2018 em Katowice, na Polônia, foi patrocinada pelas maiores corporações de carvão e gás desse país, com controle ou larga participação estatal. O principal patrocinador da COP25, em Madri, foi o grupo BMW. Os principais patrocinadores da COP26 foram a Unilever, cujas embalagens plásticas poderiam cobrir 11 campos de futebol por dia, e os dois gigantes do gás natural na Escócia, a SSE e a Scottish Power. Para não ficar atrás de suas antecessoras, a COP27 teve por patrocinador a Coca-Cola...

A COP28 conseguiu inovar, com seu presidente, o sultão Ahmed Al-Jaber, sendo igualmente presidente da Empresa Nacional de Petróleo de Abu Dhabi, conhecida como Adnoc. Em suma, a COP aboliu intermediários, simplificou,  fez "ligação direta"...