OPINIÃO

Vini Jr. Luta contra o racismo na Espanha - por Emir Sader

É uma reação covarde, para quem sabe que a única forma de se sentir superior a um jogador negro de um time superior é tratá-lo como negro, como uma raça inferior, que foi escravizada para produzir riqueza para eles.

Créditos: Divulgação/Real Madrid
Escrito en OPINIÃO el

Lula iniciou sua importante intervenção na reunião do G7 e sua participação, se solidarizando com o jogador brasileiro Vinicius Jr., vítima de racismo na partida entre sua equipe, Real Madrid e Valencia.

Não foi a primeira vez que Vinicius Jr. foi agredido com gritos de "macaco" de torcedores de times espanhóis de todas as regiões do país e até de outros países, inclusive do Brasil. Certa vez, um boneco com o corpo de Vini foi pendurado em um viaduto por um torcedor, sem nenhuma reação ou punição dos responsáveis.

São casos em torno do Vini Jr., porque ele se torna o melhor jogador do mundo. Sua imagem de jovem negro de grande sucesso aguça sua imagem de vítima desses atos de racismo. Mas das dez denúncias de racismo contra Vini Jr., apenas duas resultaram na identificação e punição dos criminosos.

Desta vez, a reação foi novamente lenta e tardia por parte das entidades do futebol espanhol e do seu próprio time, o Real Madrid. Aos poucos, jogadores, treinadores, personalidades, foram manifestando seu repúdio e solidariedade a Vini Jr., inclusive o movimento para que ele jogue mais na Espanha.

Quem frequenta campos de futebol, em qualquer lugar, sabe que esse tipo de discriminação, principalmente contra os negros, é quase “espontânea”, a ponto de se tornar natural.

É uma reação covarde, para quem sabe que a única forma de se sentir superior a um jogador negro de um time superior é tratá-lo como negro, como uma raça inferior, que foi escravizada para produzir riqueza para eles.

O triunfo do Brasil nos campeonatos mundiais de futebol de 1958, 1962 e 1970, comandado pelo negro Pelé, foi o fenômeno mais importante, sob esse ponto de vista, de toda a história do futebol. Pelé' e vários de seus companheiros mostraram que podem superar os brancos.

Alguns dos melhores atletas do mundo são negros, pela estrutura física, pela capacidade técnica. A única forma de tentar reduzi-los a algo inferior é chamá-los de "macacos", tratá-los como uma raça inferior. Enquanto isso, o Cristo do Corcovado (Redentor) é desligado em solidariedade a Vini.