Blog do George Marques

direto do Congresso Nacional

25 de junho de 2019, 14h56

Oposição prepara blindagem a Glenn Greenwald e vai defender liberdade de expressão e sigilo da fonte

Segundo os deputados, as reportagens do site The Intercept jogam dúvidas contundentes sobre a imparcialidade da atuação do então juiz Sérgio Moro e de outros juízes e procuradores

Reprodução

A Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados (CDHM) inicia em instantes a audiência pública para debater com o jornalista Glenn Greenwald fatos que divulgou sobre a Operação Lava Jato. A estratégia da oposição para o debate é promover uma blindagem institucional ao The Intercept, à liberdade de expressão e ao sigilo da fonte, antecipou ao blog o deputado Márcio Jerry (PCdoB-MA), um dos autores do requerimento de convite ao jornalista.

Além de Jerry, o requerimento é assinado pelos deputados Camilo Capiberibe (PSB-AP), Carlos Veras (PT-PE) e Túlio Gadelha (PDT-PE), que terão prioridade nas perguntas ao jornalista.

Mais uma vez a base do governo não se organizou no acompanhamento da sessão para blindar o Palácio do Planalto. Dos 25 primeiros a falar, apenas dois parlamentares são aliados do presidente: Carla Zambelli (PSL-SP) e José Medeiros, quarto e vigéssimo a falar, respectivamente.

O Ministro da Justiça, Sérgio Moro, também foi convidado a uma audiência pública conjunta entre a CDHM e a Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público (CTASP), prevista para a próxima quarta-feira (26) às 10 horas. Mas Moro não virá à Câmara.

Veja também:  Para evitar fuga, deputado apresenta pedido de retenção do passaporte de Deltan Dallagnol

A sessão está prevista para iniciar às 15h desta terça.

 

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum