Imprensa livre e independente
10 de maio de 2018, 16h13

Padre Fábio de Melo é notificado por intolerância religiosa

A notificação, feita pelo advogado do Babalawô Ivanir dos Santos, presidente da Comissão Estadual de Combate à Intolerância Religiosa, solicita que o padre retire do ar o vídeo em que aparece depreciando religiões de matriz africana em um sermão

Após a repercussão de um vídeo em que aparece depreciando religiões de matriz africana durante um sermão, o padre Fábio de Melo foi notificado pelo advogado Ricardo Brajterman, em nome do Babalawô Ivanir dos Santos, presidente da Comissão Estadual de Combate à Intolerância Religiosa. Na notificação, o advogado cita a Lei 7.716/1989 para sustentar que Fábio de Melo cometeu crime de intolerância religiosa por “praticar, induzir ou incitar a discriminação ou o preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional”. No vídeo em questão, o religioso faz piada com a prática da macumba. “Com todo o respeito a quem...

Após a repercussão de um vídeo em que aparece depreciando religiões de matriz africana durante um sermão, o padre Fábio de Melo foi notificado pelo advogado Ricardo Brajterman, em nome do Babalawô Ivanir dos Santos, presidente da Comissão Estadual de Combate à Intolerância Religiosa.

Na notificação, o advogado cita a Lei 7.716/1989 para sustentar que Fábio de Melo cometeu crime de intolerância religiosa por “praticar, induzir ou incitar a discriminação ou o preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional”.

No vídeo em questão, o religioso faz piada com a prática da macumba. “Com todo o respeito a quem faz a macumba. Pode fazer e pode deixar na porta da minha casa que, se estiver fresco, a gente come”, disse. Fábio de Melo, no mesmo sermão, ainda faz gestos irônicos e teatrais para depreciar o candomblé. Saiba mais aqui.

Pelo Twitter, na manhã desta quinta-feira (10), o padre pediu desculpas e informou que telefonou para o Babalawô Ivanir dos Santos par se desculpar e esclarecer a situação. Sempre manifestei publicamente o meu respeito a todas as religiões. O candomblé fez parte da minha origem. Nunca quis ofender ou desmerecer quem quer que seja. Apenas expressei, durante uma celebração cristã, convicções cristãs. “Peço perdão aos que se sentiram ofendidos. Eu não sou proprietário da verdade. Eu estou em busca dela. Quero o esclarecimento espiritual que me coloque ao lado de todos. Diferentes e iguais a mim. Somos irmãos e não me sinto melhor que ninguém. Se fui infeliz na forma como expressei o meu não crer, perdoem-me”, escreveu.

Veja também:  Rafinha Bastos para Bolsonaro: "Semana passada abriu as pernas pro Trump e agora critica Bruna Surfistinha?"

Ivanir dos Santos, por sua vez, informou que o padre prometeu retirar os vídeos da internet e visitar um terreiro na próxima semana no Rio de Janeiro. A intenção é levá-lo ao Centro Espírita Caboclo Pena Branca, que foi atacado na madrugada da última terça-feira (08).

 

 

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum