Imprensa livre e independente
04 de julho de 2019, 07h24

Para polícia, novo vídeo confirma Ronnie Lessa, vizinho de Bolsonaro, como um dos assassinos de Marielle

O inquérito da polícia civil que investiga o caso, registra que Lessa reside na casa 65/66 do Condomínio Vivendas da Barra, na Barra da Tijuca, zona Oeste do Rio de Janeiro. Bolsonaro morou na de número 36.

Um vídeo de uma câmera de segurança obtido pela Polícia Civil do Rio de Janeiro que mostra três homens tentando entrar em um apartamento do PM reformado Ronnie Lessa, horas depois da prisão dele ocorrida em março, se torna mais uma peça da investigação que, para a polícia, confirmaria seu envolvimento no assassinato da ex-vereadora Marielle Franco e seu motorista, Anderson Gomes. As imagens seriam da madrugada do dia 13 de março, dia de sua prisão. No primeiro trecho, às 2h27, um carro branco entra no condomínio que fica no bairro do Pechincha, em Jacarepaguá, na Zona Oeste da cidade....

Um vídeo de uma câmera de segurança obtido pela Polícia Civil do Rio de Janeiro que mostra três homens tentando entrar em um apartamento do PM reformado Ronnie Lessa, horas depois da prisão dele ocorrida em março, se torna mais uma peça da investigação que, para a polícia, confirmaria seu envolvimento no assassinato da ex-vereadora Marielle Franco e seu motorista, Anderson Gomes.

As imagens seriam da madrugada do dia 13 de março, dia de sua prisão. No primeiro trecho, às 2h27, um carro branco entra no condomínio que fica no bairro do Pechincha, em Jacarepaguá, na Zona Oeste da cidade. A polícia afirma que o carro utilizado pelos homens teria a placa clonada e dentro estariam três pessoas que teriam ido ao local para recolher armas no apartamento.

O apartamento seria utilizado por Ronnie Lessa para guardar armas. Na primeira tentativa, eles não teriam conseguido levar as armas, mas horas depois, na tarde do dia 13 de março, um deles retornou ao local e teria saído de lá com uma caixa. O portador da caixa seria Márcio Montavano, conhecido como Márcio Gordo.

Veja também:  “Sinfonia das Florestas”, de Ricardo Tacuchian, é executada nesta sexta o Rio

Ainda segundo a investigação, Josinaldo Freitas, conhecido como Dijaca, teria contratado um barqueiro, ouvido pela polícia, que confirma ter sido contratado por um homem para jogar seis fuzis e várias caixas no mar da Barra da Tijuca.

O barqueiro relatou ter visto apenas fuzis, mas a polícia suspeita que a metralhadora MP-5, usada no assassinato de Marielle, poderia estar numa das caixas.

Vizinho de Bolsonaro

O inquérito da polícia civil que investiga o caso, registra que Lessa reside na casa 65/66 do Condomínio Vivendas da Barra, na Barra da Tijuca, zona Oeste do Rio de Janeiro.

O presidente Jair Bolsonaro e sua família moraram por muito tempo, incluindo o período da campanha eleitoral, na casa de número 36. Bolsonaro também seria dono de outro imóvel no Vivendas, o de número 56.

O filho mais novo de Bolsonaro teria namorado com a filha de Lessa. Essas relações não significam qualquer envolvimento do presidente com a morte de Marielle. Mas ao mesmo tempo o único candidato a presidente que não lamentou a morte da ex-vereadora foi Bolsonaro. E seus filhos sempre que possível ironizam o assassinato.

Veja também:  Bolsonaro comete crime ao piratear cena de filme e diz, no Twitter, que vídeo foi "vazado"

Nos grupos bolsonaristas um dos memes mais repassados é uma boneca, simbolizando Marielle, toda marcada por tiros.

Os deputados mais votados do PSL para a Câmara Federal e a Assembléia Legislativa do Rio foram, respectivamente, Daniel Silveira e Rodrigo Amorim. Ambos ficaram conhecidos nacionalmente por quebrarem ao meio uma placa de nome de rua onde se lia Rua Marielle Franco.

*Com informações de O Globo.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum