Imprensa livre e independente
14 de julho de 2019, 07h59

Paulo Pimenta e Wadih Damous vão denunciar novamente Dallagnol ao CNMP sobre lucro com palestras

Na época, os deputados fizeram a denúncia, que agora é revelada pela Vaza-Jato, mas o CNMP arquivou o assunto

Foto: Reprodução/Twitter Paulo Pimenta
Após as novas denúncias da Vaza-Jato, os deputados federais Paulo Pimenta (PT-RS) e Wadih Damous (PT-RJ) vão voltar ao Conselho Nacional do Ministério Público para denunciar os procuradores federais Deltan Dallagnol e Robson Pozzobom. Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo De acordo com novos vazamentos, os procuradores teriam montado plano de negócios de eventos e palestras para lucrar com a fama e contatos obtidos durante as investigações da Lava-Jato. Na época quando eu e @wadih_damous denunciamos os incautos acharam exagero. Afinal de contas, ele só queria promover a cidadania...

Após as novas denúncias da Vaza-Jato, os deputados federais Paulo Pimenta (PT-RS) e Wadih Damous (PT-RJ) vão voltar ao Conselho Nacional do Ministério Público para denunciar os procuradores federais Deltan Dallagnol e Robson Pozzobom.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo

De acordo com novos vazamentos, os procuradores teriam montado plano de negócios de eventos e palestras para lucrar com a fama e contatos obtidos durante as investigações da Lava-Jato.

“Na época quando eu e @wadih_damous denunciamos os incautos acharam exagero. Afinal de contas, ele só queria promover a cidadania e o combate a corrupção. E agora ?? #VazaJato Voltaremos ao CNMP para que toda verdade seja esclarecida e possamos saber quanto e como ele recebeu”

Veja também:  Lava Jato e Globo/RBS se unem para atacar adversários e proteger aliados, por Paulo Pimenta

A intensa atividade de Deltan como palestrante chamou a atenção da imprensa e levou os deputados federais a pedirem abertura de um procedimento disciplinar no Conselho Nacional do Ministério Público.

O requerimento, porém, foi arquivado, pois o órgão entendeu à época que as palestras se enquadravam como atividade docente, o que é permitido por lei, e ressaltou que grande parte dos recursos era destinada a instituições filantrópicas.

O editor da Fórum, Renato Rovai, comenta as novas denúncias da Vaza-Jato com esquema de vendas de palestras do procurador Deltan Dallagnol:

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum