Imprensa livre e independente
07 de outubro de 2014, 19h06

Pela terceira vez, Manuela D’Ávila é a deputada gaúcha mais votada

Cinco estados não elegeram mulheres para a Câmara dos Deputados.

Cinco estados não elegeram mulheres para a Câmara dos Deputados Por Redação A candidata a deputada estadual pelo Rio Grande do Sul, Manuela D’Ávila (PCdoB), foi a mais votada em seu estado, com 222.436 dos votos apurados, mais que o dobro do segundo colocado. Esta é a terceira vez que D’Ávila alcança tal feito. Em 2006, ela foi a deputada federal mais votada. O fato foi repetido em 2010, quando recebeu 500 mil votos, o que a colocou como a mais votada do Brasil. Em coletiva, a candidata eleita disse que é um “orgulho”. “Mais uma vez é um orgulho...

Cinco estados não elegeram mulheres para a Câmara dos Deputados

Por Redação

A candidata a deputada estadual pelo Rio Grande do Sul, Manuela D’Ávila (PCdoB), foi a mais votada em seu estado, com 222.436 dos votos apurados, mais que o dobro do segundo colocado. Esta é a terceira vez que D’Ávila alcança tal feito.

Em 2006, ela foi a deputada federal mais votada. O fato foi repetido em 2010, quando recebeu 500 mil votos, o que a colocou como a mais votada do Brasil. Em coletiva, a candidata eleita disse que é um “orgulho”. “Mais uma vez é um orgulho ser a candidata mais votada. É o reconhecimento do meu trabalho e vou compartilhar essa felicidade trabalhando muito na Assembleia”, declarou.

Sobre o seu retorno à Assembleia legislativa gaúcha, a deputada comunista disse que um ciclo se encerrou e outro se inicia. “Fiquei oito anos em Brasília e uma série de reflexões me fizeram voltar para o Rio Grande do Sul. Acredito que encerrei um ciclo na minha militância lá”, explicou.

Veja também:  Vaza Jato: Dallagnol e Moro combinaram de usar dinheiro da 13ª Vara de forma ilegal

Mulheres no Congresso Nacional

Ao mesmo tempo em que Manuela D’Ávila deixa a Câmara dos deputados federais para se dedicar às questões de seu estado, nomes importantes retornam à Câmara dos Deputados, tais como: Luizianne Lins (PT), ex-prefeita de Fortaleza, que se elegeu deputada federal. A deputada Erika Kokay (PT-DF) também conquistou um novo mandato no Congresso, além da gaúcha Maria do Rosário (PT-RS). A eleição das três candidatas é um fato importante, pois historicamente estão aliadas às questões de gênero, LGBT e juventude.

A bancada de mulheres deve ficar em torno de 9% de representatividade no Congresso Nacional. Cinco estados não elegeram nenhuma postulante a um mandato de deputada federal; são eles: Alagoas, Espírito Santo, Mato Grosso, Paraíba e Sergipe.

Já os estados com a maior porcentagem de mulheres eleitas são: Amapá, Tocantins, Rondônia, Roraima e Piauí.

Foto: UJS

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum