Imprensa livre e independente
19 de setembro de 2017, 12h00

Pesquisa CNT: 23,5% votaria só em Lula para presidente, que lidera em todos os cenários de 1o e 2o turno

Outro recorte da pesquisa mostra que a Internet foi apontada por 39,4% dos entrevistados como principal meio de informação e praticamente empata com TV, que foi escolhida por 51,8% dos entrevistados.

Outro recorte da pesquisa mostra que a Internet foi apontada por 39,4% dos entrevistados como principal meio de informação e praticamente empata com TV, que foi escolhida por 51,8% dos entrevistados. Da Redação Para 23,4% da população, Lula é o único candidato em quem votaria; o ex-presidente é também um candidato em que poderia votar para 24,3%. Este e outros resultados aparecem na 134ª Pesquisa CNT/MDA, divulgada nesta terça-feira (19), pela Confederação Nacional do Transporte (CNT). A pesquisa analisou vários cenários. Em todos eles, o ex-presidente Lula aparece em primeiro, tanto no primeiro quanto no segundo turno: Internet cresce como meio...

Outro recorte da pesquisa mostra que a Internet foi apontada por 39,4% dos entrevistados como principal meio de informação e praticamente empata com TV, que foi escolhida por 51,8% dos entrevistados.

Da Redação

Para 23,4% da população, Lula é o único candidato em quem votaria; o ex-presidente é também um candidato em que poderia votar para 24,3%. Este e outros resultados aparecem na 134ª Pesquisa CNT/MDA, divulgada nesta terça-feira (19), pela Confederação Nacional do Transporte (CNT).

A pesquisa analisou vários cenários. Em todos eles, o ex-presidente Lula aparece em primeiro, tanto no primeiro quanto no segundo turno:

Internet cresce como meio de informação

Outro recorte da pesquisa mostra que a Internet foi apontada por 39,4% dos entrevistados como principal meio de informação e praticamente empata com TV, que foi escolhida por 51,8% dos entrevistados. O jornal impresso ficou com 3,4%.

Avaliação negativa de Temer sobe mais ainda

Já a avaliação negativa do governo do presidente Michel Temer cresceu e atingiu 75,6% em setembro deste ano. Levantamento anterior, divulgado em fevereiro, apontava reprovação de 44,1%.

Veja também:  "Parece censura", diz Frota sobre "filtro" que Bolsonaro quer impor à Ancine

De acordo com a sondagem, o índice da avaliação positiva do governo também registrou queda, chegando a 3,4% ante 10,3% registrados em fevereiro.

A avaliação regular foi para 18%, ante 38,9%. Ao mesmo tempo, a parcela dos que não tinham opinião ou não quiseram responder recuou para 8,4%, ante 19,9%. A margem de erro do levantamento é de 2,2 pontos percentuais.

Reforma Política

54,0% dos entrevistados dizem não saber que há uma reforma política tramitando no Congresso Nacional. Com relação ao modelo eleitoral, 74,0% afirmam preferir que os candidatos sejam eleitos pelos votos obtidos diretamente; 3,7% acham que os candidatos devem ser eleitos pela soma dos votos do partido e 15,4% por uma combinação das duas formas.

Conclusões principais

A intenção de voto para a eleição presidencial em 2018 indica manutenção da liderança do ex-presidente Lula em todos os cenários de primeiro e segundo turnos. Jair Bolsonaro se consolida na segunda posição. Nota-se, também, elevado percentual de rejeição individual para todos os pré-candidatos avaliados, inclusive para João Doria, que passa a ser percebido como um político comum. O potencial de rejeição de todos os pré-candidatos ultrapassa 50%.

Veja também:  Campanha antidrogas do governo federal vira motivo de piada nas redes

Foram ouvidas 2.002 pessoas em 137 municípios do país, entre os dias 13 e 16 de setembro.

 

 

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum