quinta-feira, 1 out 2020
Publicidade

Metade dos brasileiros conhece alguém próximo diagnosticado com Covid-19

A 3ª edição da Pesquisa Fórum, realizada em parceria com a Offerwise, revela como a pandemia está cada vez mais próxima dos brasileiros: 50,2% dos entrevistados afirmam que conhecem alguém próximo (amigo ou parente) que foi diagnosticado com a Covid-19. Em abril, segundo a Pesquisa Fórum, esse índice era de 18,2%. Em maio, já havia subido para 37,8%.

Outro dado da pesquisa é que a aprovação do isolamento social continua alta. A medida ainda é apontada pelas autoridades de saúde como a única forma de combater o contágio do vírus. Em abril, 81,5% responderam que eram a favor do isolamento, em maio, 78,8%, e, agora, em junho, 82,3% dizem que são favoráveis, ou seja, os percentuais se mantiveram na margem de erro.

As mulheres são mais favoráveis ao isolamento: 87,8% dizem ser a favor, enquanto entre os homens são 76,1%. Os mais jovens também são os que mais concordam com a medida: 87% de 16 a 24 anos e 86,2% de 25 a 34 anos.

Entre as pessoas que têm renda de até dois salários mínimos, 85,2% apoiam o isolamento. Já entre os entrevistados com renda de cinco a dez salários mínimos, 74,2% são favoráveis.

25,6% tiveram contratos de trabalho suspensos

A pesquisa mostra um aumento no número de pessoas que tiveram seus contratos de trabalho suspensos, principalmente mulheres e pessoas com menos escolaridade. Em abril, eram 14,2% dos brasileiros que tinham ficado sem trabalho, em maio, 16,1%, em junho, 25,6%. No recorte de gênero, observa-se que 29,4% das mulheres perderam seus contratos de trabalho. Entre os homens, foram 21,2%.

Dos entrevistados com ensino fundamental, 30,8% tiveram seus trabalhos encerrados, 24,5% dos que têm ensino médio e 18,6% dos que têm ensino superior.

Pesquisa inova com metodologia

3ª Pesquisa Fórum foi realizada entre os dias 10 e 13 de junho e ouviu 1000 pessoas de todas as regiões do país. A margem de erro é de 3,2 pontos porcentuais, para cima ou para baixo. O método utilizado é o de painel online e a coleta de informações respeita o percentual da população brasileira nas diferentes faixas e segmentos.

O consultor técnico da Pesquisa Fórum, Wilson Molinari, explica que os painelistas são pessoas recrutadas para responderem pesquisas de forma online. A empresa que realiza a pesquisa, a Offerwise, conta com aproximadamente 1.200.000 potenciais respondentes no Brasil. “A grande vantagem é que o respondente já foi recrutado e aceitou participar e ser remunerado pelas respostas nos estudos que tenha interesse e/ou perfil para participar. No caso da Pesquisa Fórum, por ser de opinião, não existia perfil de consumidor restrito, como, por exemplo, ter conta em determinado banco, ou possuir o celular da marca X. O mais importante era manter a representatividade da população brasileira, tais como, gênero, idade, escolaridade, região, renda, etc.”

Molinari registra que pesquisas feitas em ruas ou nos domicílios costumam ter margem de erro menor. “Porém sabemos que 90% da população brasileira possui acesso à telefonia celular e, especificamente na situação de quarentena que estamos vivendo, o método online é mais seguro do que o pessoal e sempre é menos invasivo que o telefônico”, sustenta.

Pouco usado para pesquisas de opinião no Brasil, os painéis online são adotados como método de pesquisa no mundo todo, segundo Molinari. E regulamentados pelas principais associações de pesquisa. “Os painéis hoje são amplamente utilizados para pesquisas de satisfação, imagem de marca, qualidade de produtos e serviços, opinião, etc”, acrescenta.

Dri Delorenzo
Dri Delorenzo
Jornalista e editora executiva da Revista Fórum.