Imprensa livre e independente
04 de julho de 2019, 17h14

PM agride manifestante que levantava faixa de Marielle em ato contra reforma da Previdência

Rhariane Maia de Souza, ativista por direito à moradia, sofreu abuso de autoridade em ato realizado no aeroporto Santos Dummont para pressionar congressistas do Rio de Janeiro a votarem contra a reforma da Previdência; assista

Foto: FIST
Rhariane Maia de Souza, integrante de movimento por moradia no Rio de Janeiro, foi agredida na terça-feira (3) pela Polícia Militar enquanto levantava faixa de Marielle Franco em ato realizado no aeroporto Santos Dummont para pressionar congressistas do Rio de Janeiro que embarcavam para Brasília a votarem contra a reforma da Previdência. Segundo relato de Rhariane, enquanto ela se manifestava com uma faixa que fazia referência à vereadora Marielle Franco, assassinada há 455 dias, um homem teria se irritado e pedido para os seguranças a removerem por “estar irritando outros passageiros”. Uma passageira tentou interceder dizendo que se manifestar não era...

Rhariane Maia de Souza, integrante de movimento por moradia no Rio de Janeiro, foi agredida na terça-feira (3) pela Polícia Militar enquanto levantava faixa de Marielle Franco em ato realizado no aeroporto Santos Dummont para pressionar congressistas do Rio de Janeiro que embarcavam para Brasília a votarem contra a reforma da Previdência.

Segundo relato de Rhariane, enquanto ela se manifestava com uma faixa que fazia referência à vereadora Marielle Franco, assassinada há 455 dias, um homem teria se irritado e pedido para os seguranças a removerem por “estar irritando outros passageiros”. Uma passageira tentou interceder dizendo que se manifestar não era crime e que não incomodava ninguém, mas a PM foi acionada.

O segundo tenente Arthur de Lima Soares, do 5º Batalhão da PM, logo abordou Rhariane com um tom irônico, dizendo que ninguém ligava para ela e debochou da aparência física da manifestante. “Será mesmo que assim com esses cabelos pro alto, vestida assim, você vai mudar o mundo”, teria dito Arthur.

Veja também:  CNMP deve avaliar caso contra Deltan Dallagnol em 13 de agosto

Apesar das provocações, ela não respondeu e o PM então a comparou com “bandidos”. “Bandido é o senhor”, reagiu Rhariane. O PM então disse que a levaria para a delegacia e rasgou o cartaz de Marielle Franco e levou a militante para o lado de fora do aeroporto pelo pescoço.

O policial ainda jogou gás de pimenta na mulher e tentou levá-la presa por “desacato”. “Esse gás fez com que ela entrasse em processo de fechamento de glote. A sequência foi a tensa negociação para que a levassem ao hospital sem a voz de prisão. Ela acabou sendo autuada na delegacia e foi para o hospital e também para o exame de corpo de delito”, declarou Alex Ilário, diretor do Sindicato Intermunicipal de Servidores Federais – RJ.

Rhariane integra a Frente Internacionalista dos Sem Teto (FIST) e é moradora da Ocupação Elza Soares, no bairro de Vila Isabel, Zona Norte do Rio. Segundo a FIST, são 26 famílias vivendo no prédio que anteriormente era um hotel.

Assista ao momento da agressão.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum