Imprensa livre e independente
21 de novembro de 2017, 15h57

Polícia vai investigar ataques racistas sofridos por Taís Araújo

Atriz foi alvo de comentários preconceituosos nas redes sociais após o vídeo de uma palestra em que trata sobre racismo ser divulgado. “Não vou me intimidar”, afirmou Taís, que será ouvida pela Polícia Civil. Agressores serão intimados a depor Por Redação Vítima de ataques racistas nas redes sociais, a atriz Taís Araújo será ouvida pela polícia. A informação foi confirmada nesta terça-feira (21), por meio de nota, pela Polícia Civil do Rio de Janeiro. Ronaldo Oliveira, diretor do Departamento Geral de Polícia Especializada (DGPE), determinou à Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI) a instauração de um inquérito para...

Atriz foi alvo de comentários preconceituosos nas redes sociais após o vídeo de uma palestra em que trata sobre racismo ser divulgado. “Não vou me intimidar”, afirmou Taís, que será ouvida pela Polícia Civil. Agressores serão intimados a depor

Por Redação

Vítima de ataques racistas nas redes sociais, a atriz Taís Araújo será ouvida pela polícia. A informação foi confirmada nesta terça-feira (21), por meio de nota, pela Polícia Civil do Rio de Janeiro. Ronaldo Oliveira, diretor do Departamento Geral de Polícia Especializada (DGPE), determinou à Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI) a instauração de um inquérito para apurar o crime de racismo. Os agressores, que já foram identificados, serão intimados a depor.

Os ataques aconteceram no último sábado (18) depois que começou a circular nas redes sociais um vídeo em que Taís Araújo fazia uma palestra em que tratava sobre o racismo e a situação de crianças negras na sociedade. Ela foi uma das palestrantes do TEDxSãoPaulo, que aconteceu em 12 de agosto. O tema de sua palestra foi “Como criar crianças doces num país ácido”.

Veja também:  Regina Duarte critica diretor bolsonarista: “tem extrapolado em declarações polarizadas”

O vídeo rapidamente viralizou nas redes sociais, mas parte da viralização se devia aos ataques. “O que a Taís Araujo quer? Uma guerra de raças igual a que teve nos Estados Unidos? Onde esse discurso quer chegar? Acho sem coerência vindo de uma atriz que faz parte da elite”, disse uma internauta. “Taís Araújo e o marido, casal vitimista. Faturam milhões em publicidades e agora usam os filhos para se vitimizar”, escreveu outro. Vários outros comentários atacando a atriz, então, começaram a se espalhar pelas redes.

Nesta segunda-feira (20), Dia da Consciência Negra, Taís Araújo se pronunciou em uma postagem no Facebook.

“Faço questão que todos sintam o mesmo que senti: a vergonha de ainda ter gente covarde e pequena nesse país, além do sentimento de pena dessa gente tão pobre de espírito. Não vou me intimidar, tampouco abaixar a cabeça. Sigo o que sei fazer de melhor: trabalhar. Se a minha imagem ou a imagem da minha família te incomoda, o problema é exclusivamente seu!”, escreveu.

Veja também:  Autora de ‘Democracia em Vertigem’ diz que ‘silêncio forçado’ de Lula sobre seu filme ‘é ensurdecedor’

 

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum