Deboche: “Em 2020, tivemos a maior redução da pobreza nos últimos 40 anos”, diz Guedes

Ministro da Economia, que lucra com a disparada do dólar com sua offshore em paraíso fiscal e ignora desastre econômico e social do governo Jair Bolsonaro, deu declaração em Washington, nos EUA

Não se sabe se é delírio ou escárnio, mas Paulo Guedes, ministro da Economia do governo de Jair Bolsonaro, deu mais uma declaração completamente descolada da realidade. Na tarde desta quarta-feira (13), em Washington, capital dos EUA, num encontro chamado Atlantic Council, o dono de uma offshore com US$ 9.55 milhões nas Ilhas Virgens Britânicas, quem vem lucrando muito com a disparada da moeda norte-americana, resolveu dizer aos estrangeiros que sua gestão promoveu a maior redução da pobreza no Brasil das últimas quatro décadas.

“Em 2020, tivemos a redução mais importante da pobreza nos últimos 40 anos”, afirmou Guedes. A frase, que poderia gerar incredulidade ou risos em que ouve, segundo a lógica obtusa de seu autor, teria uma explicação: o auxílio emergencial pago durante a pandemia no ano passado.

“O Brasil gastou duas vezes mais que a média dos países emergentes em assistência social. Foi o maior impacto na pobreza que já tivemos”, disse, citando na sequência os valores pagos. Guedes só não mencionou que o governo do qual faz parte não tomou qualquer iniciativa no sentido de instituir o benefício e manifestou-se contrariamente no início, aceitando pagar apenas R$ 200 durante as negociações. O valor de R$ 600, que poderia chegar a R$ 1.200, foi uma decisão do parlamento.

O ministro aproveitou ainda para repetir sua já conhecida cantilena liberal de “igualdade para todos” e para culpar o auxílio emergencial pela galopante inflação que corrói a renda do brasileiro.

Notícias relacionadas

Avatar de Henrique Rodrigues

Henrique Rodrigues

Jornalista e professor de Literatura Brasileira.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR