Rosangela Moro diz que vê o marido e Bolsonaro "como uma coisa só"

"O ministro é da equipe do presidente Jair Bolsonaro, dá total apoio para o presidente, inclusive no futuro aí, na reeleição", disse a esposa de Sergio Moro

Rosangela e Sergio Moro visitam Bolsonaro e Michelle no hospital (Foto: Reprodução/Twitter)
Escrito en POLÍTICA el

Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo neste domingo (16), Rosângela Wolff Moro, esposa do ministro da Justiça, Sérgio Moro, afirmou que vê Moro e Bolsonaro como "uma coisa só".

"Eu não vejo o Bolsonaro, o Sérgio Moro. Eu vejo o Sérgio Moro no governo do presidente Jair Bolsonaro, eu vejo uma coisa só", afirmou.

Rosângela negou uma rivalidade entre os dois e uma possível candidatura do ministro em 2022. “O ministro até brincou esses dias: ‘Ah, vou tatuar na testa que não vou ser o presidente’. O ministro é da equipe do presidente Jair Bolsonaro, dá total apoio para o presidente, inclusive no futuro aí, na reeleição.”

O apoio para uma candidatura de Moro em 2022 é forte nas redes sociais. Bolsonaro chegou a ameaçar retirar funções do ministro, mas não foi adiante.

A advogada, especializada em Direito Tributário, diz se considerar "fã número 1" do marido. Rosângela diz tentar se manter distante das "guerras políticas em Brasília", mas defende Bolsonaro que, segundo ela, é diferente nos seus antecessores por não fazer loteamento político e evitar o "toma lá, dá cá".

Rosângela também negou que Moro esteja interessado em ocupar uma vaga no STF, com a aposentadoria de Celso de Mello: “Melhor ele concluir o trabalho dele como ministro da Justiça. As pessoas estão felizes, os números de violência estão diminuindo. O presidente vai decidir na hora certa o que pretende para o País”.

Declarando-se "liberal na economia e conservadora nos costumes", ela defende medidas polêmicas do governo Bolsonaro, como a campanha de abstinência sexual da ministra Damares Alves.

“A gravidez precoce é um problema, traz consequências, faz com que a jovem perca parte da sua vida. Tudo tem a sua fase”, defendeu. Também se manifestou sobre o aborto: “Sou absolutamente a favor da vida. Sou contra o aborto. Agora, eu acho que você penalizar, criminalizar, talvez não seja a saída, porque as mulheres pobres, que se submetem a condições desumanas, acabam sendo criminalizadas".