ARAS EM PARIS

Aras em Paris: PGR aciona PF para investigar brasileiros que abordaram o chefe

“Dar rolezinho em Paris é legal, mas e abrir processo? Vamos investigar o bolsolão do MEC, procurador?”, cobrou um brasileiro; reveja o vídeo aqui

Augusto Aras.Créditos: Agência Brasil
Escrito en POLÍTICA el

Augusto Aras ordenou que a Procuradoria-Geral da República (PGR) acione a Polícia Federal para abrir uma investigação contra, pelo menos, três brasileiros que abordaram o chefe do órgão durante suas férias em Paris.

O pedido foi assinado pela vice-procuradora-geral da República, Lindôra Araújo, logo após o episódio, em abril.

Relembre o caso

De férias em Paris, Aras, foi cobrado por brasileiros a abrir uma investigação sobre o esquema de corrupção montado por Jair Bolsonaro (PL) junto com pastores no Ministério da Educação, que ficou conhecido como "Bolsolão do MEC".

“Dar rolezinho em Paris é legal, mas e abrir processo? Vamos investigar o bolsolão do MEC, procurador?”, cobrou um brasileiro, que filmou a cena pelas ruas da capital francesa.

"Vamos investigar lá os pastores no MEC, o Bolsonaro gastando milhões em Viagra para o Exército...", listou o brasileiro.

Questões de segurança

A PGR não informou na ocasião o período de férias e nem o destino de Aras por "questões de segurança".

Auxiliares do chefe do Ministério Público Federal redobraram os cuidados com sua segurança após abordagem.

A PF ouviu algumas das pessoas que criticaram Aras assim que eles retornaram de viagem, ainda no aeroporto de Guarulhos (SP) de acordo com informações obtidas pela Folha. O jornal apurou também que a Polícia Federal abriu inquérito para investigar os críticos de Aras por injúria e difamação, mas não pelos supostos crimes citados pela Procuradoria.

Com informações da Folha